Os primeiros três meses de 2018 foram de bons números para os cinemas do Amazonas. Os complexos localizados em três cidades do Estado – Manaus, Manacapuru e Itacoatiara – faturaram R$ 11,6 milhões de ingressos. O público total foi de 865.515 espectadores com 80 filmes sendo exibidos no trimestre.

Com 69 salas em funcionamento, Manaus, claro, registrou mais de 95% deste valor: R$ 11,51 milhões com público de 853 mil pagantes. Inaugurado no ano passado, o cinema de Manacapuru, Cine Kimak, vendeu 10,6 mil entradas com faturamento de R$ 121 mil.

Por fim, o Cine Theatro Dib Barbosa, reaberto na segunda quinzena de março deste ano na cidade de Itacoatiara, registrou público de 965 e renda de R$ 11.800.

Todos os dados são do site da Agência Nacional do Cinema no Observatório do Cinema. Os números são atualizados mensalmente e estão disponíveis à consulta da população.

Manaus no TOP 10 de público no Brasil

Se havia dúvidas do tamanho da paixão dos manauaras por cinema, agora, os números não deixam mais dúvidas. A capital amazonense é a 10ª do ranking nacional de ingressos vendidos. A cidade está à frente de Campinas (11ª colocação com 847 mil pagantes), Goiânia (666 mil na 12ª posição) e Belém (599 mil pagantes no 13º lugar).

Atualmente, Manaus conta com 69 salas em funcionamento: Cinépolis (26), Playarte (10), Cinemark (8), UCI (8), Cine Araújo (6), Kinoplex (5), Centerplex (4) e o Cine Casarão, único cinema de rua da cidade e dedicado aos filmes do circuito alternativo.

São Paulo lidera com 5,2 milhões de ingressos vendidos seguido do Rio de Janeiro (3,9 milhões), Belo Horizonte (1,3 milhão), Brasília (1,2 milhão), Salvador (1,1 milhão), Fortaleza (1,04 milhão), Curitiba (948 mil), Recife (877 mil) e Porto Alegre (853 mil).

Norte do Brasil: Amazonas mais filmes exibidos, Pará mais renda

O Amazonas pode se orgulhar de ser o Estado da Região Norte do Brasil a ter recebido o maior número de filmes no primeiro trimestre: ao todo, 80 longas-metragens tiveram sessões no circuito comercial.

Isso inclui desde blockbusters como “Pantera Negra”, “Cinquenta Tons de Liberdade” e “Jumanji: Bem-Vindo à Selva” passando pelos oscarizados “A Forma da Água”, “Três Anúncios Para um Crime” e “Me Chame Pelo Seu Nome” até cults como “A Ópera de Paris” e “O Jovem Karl Marx”.

Por outro lado, o faturamento dos cinemas amazonense foi menor do que os do Pará. No Estado vizinho, a arrecadação chegou a R$ 12,4 milhões com 65 filmes em cartaz contra R$ 11,6 milhões do Amazonas.

A diferença se explica pelo maior número de cidades paraenses com salas de exibição. Ao todo, o Pará conta com Belém e outros 11 municípios com cinemas, enquanto o Amazonas possui apenas Manaus, Manacapuru e Itacoatiara.

Facebook Comments