Companhia teatral surgida em Manaus no ano de 2013, o Ateliê 23 traz “Ensaio de Despedida” como um de seus maiores sucessos. Protagonizada por Taciano Soares e Thais Vasconcelos, a peça dirigida por Eric Lima estreou em fevereiro de 2017 e, um mês depois, abriu a 11ª Mostra de Teatro do Amazonas. Recentemente, foi reencenada pelo grupo com Jorge Florêncio no lugar de Thais na programação Combo 23, em dezembro de 2020.

Agora, a peça vira filme: novamente comandada por Eric Lima, a produção teve as gravações finalizadas em setembro. Este, aliás, será o segundo curta-metragem do Ateliê 23: “A Bela é Poc” foi gravado no primeiro semestre deste ano – você pode conhecer todos os detalhes sobre o projeto no podcast do Cine Set ‘Novidades do Cinema Amazonense – Parte I”.

Eric Lima contou ao Cine Set que o Ateliê 23 já conversava sobre adaptar a peça para o formato audiovisual. “A pandemia impulsionou que esses planos se concretizassem”, disse. Com a narrativa feita sem linearidade – tal qual o espetáculo teatral – “Ensaio de Despedida” acompanha quatro atores – dois homens (Dimas Mendonça e Taciano Soares) e duas mulheres (Dinne Queiroz e Júlia Kahane) -, que se entrelaçam para contar a história de um único casal. Desta forma, conforme o filme avança, o gênero dos personagens torna-se fluido.

Em dado momento, temos um casal homossexual e logo após um casal heterossexual formado pelos mesmos personagens. Como esse rodízio acontece somente entre atores, não envolvendo os personagens, ao final, ainda se conta a história de uma única relação.

Eric Lima

diretor de "Ensaio de Despedida - O Filme"

DE MIKE NICHOLS A SAM MENDES: REFERÊNCIAS CINEMATOGRÁFICAS

Sucessos recentes como “Closer – Perto Demais”, de Mike Nichols, “Histórias de um Casamento”, de Noah Baumbach, e “Foi Apenas um Sonho”, de Sam Mendes, são referências para “Ensaio de Despedida”. Porém, se a peça traz trechos desses filmes, Eric preferiu na adaptação para o cinema trabalhar estas produções de forma mais discreta.

“Dentro desse lugar mais democrático das relações, foram colocados esses diálogos conhecidos, por serem fortes e icônicos, na boca de personagens de outras sexualidades”, declarou. Eric ainda enxerga essa abordagem como uma reparação para “aqueles que já se sentiram como algum desses personagens e torna-se mais uma opção para que as pessoas possam se identificar no filme”.

Por dentro dos relacionamentos

Desenvolvida pelo Ateliê 23, a pesquisa Bionarrativas Cênicas foi fundamental para a construção do roteiro. Nela, o grupo utiliza elementos biográficos para a construção da cena. Esse é um processo importante, segundo Eric, para ter-se referências sobre as relações internas dos envolvidos na produção.

“Muitos itens da peça, assim como do roteiro do filme, foram construídos sob as histórias de relacionamentos vividos pelos intérpretes e pessoas do processo, assim como de outros conhecidos”, revelou. Para o diretor do Ateliê 23 e um dos atores do filme, Taciano Soares, a experiência de participar de “Ensaio de Despedida” foi renovadora.

A principal diferença entre trabalhar no cinema e no teatro é a intenção da atuação. Enquanto no espetáculo, há na necessidade de ser um corpo estendido e preencher todo o palco, na sétima arte, a intencionalidade está no ângulo da câmera, para aquilo que o diretor que mostrar

Taciano Soares

Diretor do Ateliê 23 e ator de "Ensaio de Despedida - O Filme"

Um Novo Olhar

Aqueles que já tiveram a oportunidade de assistir “Ensaio de Despedida” no teatro poderão contemplar uma nova abordagem para a história. A direção de arte, assinada pelo próprio diretor ao lado de Laury Gitana, marca um novo olhar sobre o tema.

O curta acontece dentro de um apartamento, com os personagens em constante movimento de entrada e saída, simbolizando a forma como estão presos a sua relação. “Existe um contraste grande dentro da casa onde se passa a narrativa: na mesma sala de estar existe um lado cheio de vida e informações e do outro vazio, branco, sem personalidade. Opostos seria a palavra de ordem”, disse o diretor.

“Ensaio de Despedida – o Filme” toca em assuntos corriqueiros dentro de uma relação que independem do gênero como traição, desencontros e relacionamentos abusivos. Para Eric Lima, o entrosamento da equipe fez a diferença na realização da adaptação, por serem pessoas que “trabalham juntos há alguns anos, o que tornou o processo muito natural e orgânico. A experiência dos atores, por exemplo, foi importantíssima para que as resoluções de takes difíceis fossem muito efetivas”, disse.

CONFIRA A PEÇA “ENSAIO DE DESPEDIDA”:

Cinema e cores de Mario Bava inspiram Lucas Martins em novo filme

Com três curtas-metragens já produzidos, o jovem diretor amazonense de 27 anos, Lucas Martins, se prepara para lançar seu mais novo trabalho intitulado "Um Mal Necessário", contemplado pelo edital Feliciano Lana, do governo do Amazonas com recursos da Lei Aldir Blanc....

Em Manaus, pós-graduação de cinema reúne profissionais premiados do audiovisual brasileiro

Produtora amazonense criada por Erlan Souza e Gustavo Soranz, a Rizoma Audiovisual lança um novo curso para quem deseja estudar cinema. Com inscrições abertas (clique aqui), a pós-graduação é voltada para o aperfeiçoamento de profissionais que já atuam no setor....

Roteiristas vencedores do Amazonas Film Festival são tema de nova websérie

Evento cinematográfico de maior porte já realizado no Estado, o Amazonas Film Festival contou com 10 edições entre 2004 e 2013 trazendo estrelas nacionais e internacionais para Manaus, além de contribuir para a geração de uma nova leva de profissionais do audiovisual...

‘Manaus Hot City’ e ‘O Barco e o Rio’ são selecionados para festival no México

"Manaus Hot City", de Rafael Ramos, e "O Barco e o Rio", de Bernardo Abinader, seguem ganhando o mundo. As duas produções do cinema amazonense estão selecionados para o Shorts México 2021, único festival internacional de curtas-metragens do país da América Central....

Filmes dos amazonenses Henrique Amud e Zeudi Souza concorrem em festival brasileiro nos EUA

O Amazonas terá dois representantes na 25ª Inffinito Film Festival, evento em formato híbrido com a missão de levar o cinema brasileiro aos EUA em 2021. "O Buraco", de Zeudi Souza, e "Atordoado, Eu Permaneço Atento", de Henrique Amud e Lucas H. Rossi dos Santos,...

Amazonense ‘O Barco e o Rio’ estará em edição especial do Festival do Rio

O cinema amazonense terá representante no Festival do Rio: "O Barco e o Rio" está selecionado para a Première Brasil entre os curtas-metragens nacionais. O evento inicia nesta quinta-feira (5) e segue até 15 agosto com a programação gratuita e online através da...

Laboratório de argumentos para longas, Manaó Cinelab abre inscrições gratuitas

Oportunidade rara para quem deseja estudar cinema em Manaus: um laboratório para desenvolvimento de argumento de longas-metragens será promovido pela produtora Tamba-Tajá Criações. Iniciativa gratuita, o 'Manaó Cinelab: Em busca da escrita perfeita' terá 10 vagas,...

Animação pós-apocaliptíca representa o Amazonas no Festival de Gramado 2021

O Festival de Gramado volta seu olhar novamente para a produção amazonense: a animação "Stone Heart" será o representante do Estado na mostra de curtas nacionais, a mesma vencida em 2020 por "O Barco e o Rio", de Bernardo Abinader. Dirigido pelo parintinense Humberto...

Camila Henriques e Pâmela Eurídice são as duas novas representantes do Amazonas na Abraccine

O Amazonas ganhou mais dois novos nomes na Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema: Camila Henriques e Pâmela Eurídice estão entre as novas integrantes da entidade existente desde 2011. A dupla se junta a Susy Freitas, primeira amazonense selecionada...

‘Os Segredos do Putumayo’, de Aurélio Michiles, é selecionado para festival na Irlanda

O filme "Segredos do Putumayo", dirigido pelo amazonense Aurélio Michiles, é um dos destaques do festival irlandês Galway Film Fleadh que acontece entre os dias 20 e 25 de julho. Ainda inédito nos cinemas brasileiros, conta com a distribuição global da O2 Play. O...