Experimental, intrigante e sinistro podem ser palavras que resumem bem o primeiro longa-metragem de Bruna Carvalho Almeida. “Os Jovens Baumann” mistura documentário com ficção e envolve o espectador ao apresentar fragmentos de um mistério até hoje sem solução: o desaparecimento de oito primos em uma fazenda no interior de Minas Gerais, em 1992.

O longa de estreia da cineasta deixa claro as suas pretensões e expectativas nesta história interessante. É uma pena, porém, que “Os Jovens Baumann” se perca em suas ambições, tornando o filme confuso, um emaranhado de imagens e sons que pouco contribuem para experiência de imersão do público.

A história, construída pela roteirista Larissa Kurata, em parceria com Bruna, é intrigante. Há uma aura enigmática que nos leva a perguntar: qual o destino desses jovens ricos que só aproveitavam a calmaria e os momentos felizes da vida na fazenda de seus pais?

No estilo found footage, o filme mostra os jovens Jota, Ana Paula, Caio, Fred, Tito, Bia, Debby e Isadora Baumann aproveitando um dia de praia, andando pela floresta, conversando amenidades, jogando bola, praticando tiro. O uso dos vídeos em VHS como artifício para dar o toque experimental e verdadeiro para história funciona até certo ponto. As sombrias cores borradas, principalmente o verde – digno de vídeos íntimos de família –, constroem uma narrativa que envolve o espectador e atiça a curiosidade em descobrir mais sobre os caminhos que levaram ao desaparecimento.

GOSTO AMARGO

Após apresentar os jovens, suas conversas e experiências na fazenda, “Os Jovens Baumann” salta 26 anos. Então, o roteiro utiliza a filha de um caseiro da fazenda como narradora. É ela que vai refletir sobre as dúvidas que pairam sobre o caso, sendo esta narração um dos poucos pontos altos da obra.

Mas, como se bastasse apenas misturar as técnicas e um roteiro minimamente interessante, “Os Jovens Baumann” ignora complemente o efeito de uma boa montagem. A impressão é que a estrutura narrativa se perde na tentativa de ser um filme alternativo ao usar artifícios do suspense e tentar um terror atmosférico.

Com isso, a obra de Bruna Carvalho torna-se monótona, e se perde em seu primeiro ato. O uso de imagens estáticas da fazenda dos Baumann nos dias de hoje, assim como a narração, quebra o envolvimento do espectador.

Os diálogos, que poderiam nos fazer entender mais sobre os protagonistas, são aleatórios, pouco inteligentes e nada contribuem para a compreensão da trama ou, ao menos, criar qualquer empatia pelos personagens. Enquanto você assiste, percebe que os jovens ricos dos anos 1990 só querem privacidade, liberdade e licença poética para criar memórias.

Ao final, o filme de Bruna Carvalho Almeida deixa um gosto amargo, pois, apesar de ser uma obra promissora em criar o mistério, finaliza como um filme raso, cansativo: uma verdadeira confusão. 

‘Escape From Pretoria’: personagens esquecidos em nome da ação

Escrito e dirigido por Francis Annan (“Woyzeck”), “Escape From Pretoria” apresenta a história real de Tim Jenkin (Daniel Radcliffe, o eterno 'Harry Potter') e Stephen Lee (Daniel Webber), dois ativistas anti-apartheid levados para a prisão de segurança máxima de...

‘Goddess of the Fireflies’: conto canadense entre o atual e o nostálgico

Bebendo da fonte de contos clássicos de juventude transviada, o longa canadense "Goddess of the Fireflies" acompanha uma jovem descendo a um inferno de rebeldia e vício. O longa, mesmo com uma trama um pouco batida, se ancora em uma impecável ambientação para entregar...

‘O Poço’: sucesso espanhol da Netflix digno de todo hype

Impactante, atual e necessário. Essas são algumas palavras que definem ‘O Poço’ e toda sua repercussão ao ser distribuído internacionalmente pela Netflix. Em geral, quando uma produção faz um sucesso estrondoso no streaming, eu já duvido muito sobre sua qualidade,...

‘Você não Estava Aqui’: repensando o papel da família e o sistema capitalista

Ken Loach costuma retratar o quanto o sistema capitalista afeta negativamente as pessoas que dependem dele. Em “Eu, Daniel Blake”, ele destacou o quanto a burocracia e o sistema podem abalar a tranqüilidade de quem precisa deles. Já em “Você não estava aqui”, seu...

‘Por Lugares Incríveis’: Netflix volta a errar em drama adolescente

Com toda repercussão negativa de séries como ‘13 Reasons Why’ e ‘You’, a Netflix apostou em outra atração jovem sobre transtornos mentais e, mais uma vez, foi na direção errada. Tudo bem, ‘Por Lugares Incríveis’ não chega ao mesmo nível de irresponsabilidade que as...

‘Seberg contra todos’: Kristen Stewart gigante não faz milagre

Seguindo o estilo de ‘O Relatório’, a Amazon apresenta mais um longa baseado em fatos totalmente protocolar e com pouca originalidade. ‘Seberg Contra Todos’ até possui um forte e atrativo argumento, entretanto, a condução exagera em momentos óbvios e personagens...

‘Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica’: o óbvio que não vemos

"O mundo perdeu a magia”, diz Ian Lightfoot (Tom Holland), logo no início de “Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica” A frase poderia soar ordinária caso não tivesse embutida de uma deliciosa ironia, afinal, se trata de um jovem elfo, irmão do dono de uma van chamada...

‘O Homem Invisível’: aula sobre os perigos de um relacionamento tóxico

AVISO: o texto abaixo contém SPOILERS  Há mais ou menos um ano ‘remake’ era um conceito inocente para mim, mas, após ser bombardeada com tantas recriações realmente ruins, a palavra tornou-se um motivo de pânico. Em meio a este boom de reaproveitamento em Hollywood,...

‘Maria e João – O Conto das Bruxas’: terror inova sem esquecer do clássico

Se há algo que sempre foi fascinante nos contos dos irmãos Grimm é a enorme capacidade que eles tinham de integrarem um conjunto de ideias que sempre mexeram com o imaginário infantil. No fundo, os seus contos são fortes na essência por apresentaram uma linguagem...

‘A Última Coisa Que Ele Queria’: Dee Rees afunda-se em mar de narrativas sem fim

Quando assisti “Joan Didion: The Center Will Not Hold” – documentário sobre Joan Didion disponível na Netflix –, percebi que adentrar no universo da escritora é uma tarefa um tanto complexa. Pelo visto, muitos cineastas possuem esse mesmo sentimento, visto que, apesar...