A classe artística do Amazonas sofreu mais um duro golpe nesta quinta-feira (13): a morte do artista plástico e diretor de arte Óscar Ramos. Aos 80 anos, ele não resistiu a um acidente vascular cerebral (AVC) e faleceu no Hospital Beneficente Portuguesa. 

O Cine Set homenageia Óscar Ramos com cinco fatos importantes e curiosos ligados ao audiovisual de um dos maiores artistas da história do Amazonas: 

1. Juventude no Cine Éden

Nascido em Itacoatiara em 1938, Óscar Ramos veio para Manaus aos oito anos de idade, após o fim da Segunda Guerra Mundial. O pai dele, Oscar Antunes Ramos, junto com Aníbal Augusto Ramos, abriram o Cine Éden, cinema de rua localizado na rua Jonatas Pedrosa, no Centro da cidade. 

A sala tinha capacidade para mil lugares e, nela, Óscar Ramos assistiu aos primeiros filmes. Dois deles chamaram a atenção do garoto: a aventura “Ladrão de Bagdá”, dirigida pelo trio Ludwig Berger, Michael Powell e Tim Whelan, e o drama de guerra “Beau Geste”, protagonizado por Gary Cooper. Porém, segundo Óscar, foi “Tensão em Shangai” o primeiro filme que, de fato, assistiu com outros olhares. “Era um mundo estranho e fascinante que eu nunca vira e me deixava muito consciente desse fato, declarou. 

O Éden, porém, era longe dos principais cinemas – Avenida, Polytheama, Odeon, Guarany – e o baixo público fez a família de Óscar passar por momentos difíceis. Em 1948, o espaço acabou sendo vendido para a empresa J. Fontenelle & Cia, mas, isso não impediu o futuro artista a se encantar com o mundo do cinema.

2. O curioso encontro com Silvino Santos

silvino santos

Silvino Santos entrou para a história como o pioneiro do audiovisual na Amazônia. Com o suporte financeiro do comendador J.G Araújo, o português realizou obras fundamentais como “Amazonas, o Maior Rio do Mundo” (1920), “No Paiz das Amazonas” (1922) e “No Rastro do Eldorado”. O fim do ciclo da Borracha e a decadência econômica do Estado levaram ao fim das produções e Silvino caiu no ostracismo. 

Nestes encontros da vida, o Cine Éden ficava ao lado da casa de Silvino Santos. Óscar Ramos tinha amizade com o neto do português, Hindemburgo. E quis o destino que o encontro entre Silvino e Óscar acontecesse como relatado na biografia “Maya”: 

 

Tempos depois, em 1969 no I Festival Norte de Cinema Brasileiro, Silvino Santos seria resgatado historicamente pela geração cineclubista formada por nomes como Joaquim Marinho, Cosme Alves Neto, Ivens Lima, José Gaspar, entre outros. 

3. Do Experimental ao Blockbuster de Hollywood

Poderia falar dos trabalhos de Óscar Ramos em parceria com nomes fundamentais da MPB como Caetano Veloso, Maria Bethânia, João Bosco, Gilberto Gil e da literatura nacional como Anne Rice e Mário Faustino 

Também poderia citar a importância dele para as artes plásticas e o diálogo com importantes figuras – Manuel Hernandez Mompó, José Jardiel, entre outros – nas viagens pela Europa. Seria suficiente para salientar a importância artística dele, sem dúvida.  

Agora, a carreira de Óscar Ramos nos cinemas é impressionante: ao todo, foram 17 longas-metragens. Trabalhou com diretores do porte de Júlio Bressane, Ivan Cardoso, Antonio Calmon, Marcos Vinícius César, Mauro Lima, Tânia Lamarca, Thierry Ragobert Lucho Llosa. Foi do cinema experimental brasileiro ao blockbuster de Hollywood sempre com o talento e a sensibilidade que carregava. 

Nos últimos anos, Óscar Ramos chegou a trabalhar em produções amazonenses, entre elas, “Perdido”, de Zeudi Souza. Em entrevista ao jornal Em Tempo, em agosto de 2018, o realizador audiovisual local destacou a importância do diretor de arte:  

 

Confira abaixo a filmografia de longas: 

“O Gigante da América” (1978) 

“A Mulher Sensual” (1981) 

“O Segredo da Múmia” (1982)  

“Menino do Rio” (1982) 

“Além da Paixão” (1985) 

“Os Bons Tempos Voltaram: Vamos Gozar Outra Vez” (1985) 

“As Sete Vampiras” (1987) 

“A História d´o” (1988) 

“Prisioneiro do Rio” (1989) 

“O Escorpião Escarlate” (1990) 

“Anaconda” (1997) 

“Tainá” (2001) 

“Tainá 2” (2004) 

“Espelho d´água – Uma Viagem no Rio São Francisco” (2004) 

“O Ensaio” (2010-2011) 

“Amazônia – O Planeta Verde” (2012) 

“Antes o Tempo Não Acabava” (2017)

4. Prêmios e Reconhecimento Nacional

Óscar Ramos é, sem dúvida, um dos profissionais mais premiados da cultura amazonense. No audiovisual, o artista plástico faturou prêmios em dois dos maiores festivais de cinema do Brasil: Gramado e Brasília. 

Por “O Segredo da Múmia”, mistura de suspense com comédia dirigido por Ivan Cardoso, Óscar Ramos ganhou o primeiro Candango em Brasília e recebeu o prêmio da conceituada Associação de Críticos de São Paulo, em 1982.  

Cinco anos depois, com “As Sete Vampiras”, nova parceria com Ivan Cardoso, veio o segundo Candango e o primeiro Kikito em Gramado. Em 1990, pelo trabalho em “O Escorpião Escarlate”, ele repetiu a dose, sendo ainda premiado no Festival de Natal. 

5. ‘Não Sou Amante do Cinema, Sou Amante do Filme’

Por fim, deixo trechos do próprio Óscar falando sobre sua paixão pelo cinema expostos na biografia “Maya”: 

Isabela Catão será protagonista do novo curta de Diego Bauer

Após o sucesso que “Obeso Mórbido” está tendo ao receber prêmios e participando de diversas mostras de cinema pelo Brasil, o diretor Diego Bauer já tem em mente seu próximo curta-metragem. Trata-se de “Enterrado no Quintal”, uma adaptação de um conto escrito pelo...

Cine Set estará no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary 2019!

O Cine Set inicia, nesta sexta-feira (28), mais uma cobertura internacional: o Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary! Nosso correspondente na Europa, Lucas Pistilli irá representar o Cine Set no tradicional evento na República Tcheca. Aqui no site, você...

Festival de Vitória seleciona amazonense ‘Obeso Mórbido’ para mostra experimental

A parceria entre Diego Bauer e Ricardo Manjaro segue rendendo frutos: "Obeso Mórbido" está entre os selecionados para a oitava edição da Mostra Corsária, seção do Festival de Vitória voltada para filmes experimentais.  O evento no Espírito Santo acontece entre os dias...

Mostra de Cinema de Terror abre inscrições para filmes do Amazonas

Agosto não vai apenas marcar o retorno do “Brinquedo Assassino”: a I Mostra do Cinema de Terror será realizada em Manaus na primeira quinzena do mês. A iniciativa terá exibições de filmes locais, workshops, stands com produtos ligados ao gênero e uma homenagem ao...

Manaus recebe Mostra do Cinema Italiano com sessões gratuitas

Federico Fellini, Roberto Rossellini, Pier Paolo Pasolini, Vittorio de Sica, Michelangelo Antonioni, Bernardo Bertolucci, Sergio Leone, Dario Argento, Roberto Benigni, Nanni Moretti... A Itália já trouxe ao mundo grandes nomes e obras-primas e, a partir de...

Galeria de Fotos: Roda de Conversa Crítica de Cinema no Amazonas

Roda de conversa sobre crítica de cinema aconteceu no Café com Texto, localizado na Rua Belo Horizonte, no sábado, dia 22 de junho Danilo Areosa foi o condutor da roda de conversa sobre a crítica de cinema no Amazonas Susy Freitas apresentou a pesquisa sobre a...

Galeria de Fotos: Lançamento Livro do Cine Set no Casarão de Ideias

Equipe do Cine Set autografou dezenas de livros na noite desta quarta-feira (19) no Casarão de Ideias, no Centro de Manaus (foto: Alessandra Smith) Renildo Rodrigues, Caio Pimenta e Danilo Areosa (de cima para baixo) assinam livros; Pâmela Eurídice mostrou estilo com...

Cine Set promove roda de conversa sobre crítica de cinema neste sábado

A crítica de cinema será o tema de roda de conversa promovida pelo Cine Set neste próximo sábado (22). A atividade gratuita acontece a partir das 15h30 no Café com Texto, localizado na Rua Belo Horizonte, 1391, zona centro-sul de Manaus. O evento é a segunda...

Curtas produzidos em curso de cinema em Manaus serão exibidos em sessão gratuita

O curso ‘Cineastas em Formação’ chega ao fim com uma sessão gratuita de lançamento dos cinco curtas-metragens produzidos na atividade. As exibições dos filmes “Jackselene”, “Insana”, “Exílio”, “Clarice” e “Ressonância” acontecem na próxima terça-feira (18) no Casarão...

Óscar Ramos: cinco fatos e curiosidades sobre um ‘Amante do Filme’

A classe artística do Amazonas sofreu mais um duro golpe nesta quinta-feira (13): a morte do artista plástico e diretor de arte Óscar Ramos. Aos 80 anos, ele não resistiu a um acidente vascular cerebral (AVC) e faleceu no Hospital Beneficente Portuguesa.  O Cine Set...