De Sophia Loren a Sidney Poitier, chegou a hora de listar os 10 maiores momentos do Oscar na década de 1960.  

10. CERIMÔNIA QUASE CANCELADA 

Você já pensou faltar três horas para o início do Oscar e não saber se a festa iria ocorrer ou não? 

Foi o caso de 1967 quando a Federação americana dos Artistas de Rádio e Televisão entrou em greve e quase inviabilizou a realização da cerimônia.

O assunto só foi resolvido faltando pouco mais de três horas para o início do Oscar. 

O apresentador da festa, Bob Hope, aproveitou para tirar onda com a situação durante o monólogo de abertura do Oscar vencido por “O Homem que não Vendeu Sua Alma”. 

9. CANÇÃO GREGA PREMIADA

Canção do filme grego “Nunca aos Domingos”, “Ta Paidia tou Piraia” foi a primeira música não falada em inglês o Oscar, em 1960.

Fato semelhante só foi ocorrer 44 anos depois com “Al Otro Lado Del Río”, de “Diários de Motocicleta”. 

8. APARIÇÃO DE PATRICIA NEAL 

Patricia Neal venceu o Oscar de Melhor Atriz merecidamente por “O Indomado” em 1964. Porém, a vida dela nos anos 1960 foi marcada por tragédias familiares. 

Com apenas quatro meses, o filho dela, Theo, sofreu lesões cerebrais em decorrência de um acidente de trânsito. Depois, foi a filha de sete anos, Olivia, morrer de encefalite. Durante a última gravidez, a Patricia Neal ficou entre a vida e a morte ao sofrer um aneurisma cerebral. 

Por todo esse histórico e a força por sempre se reerguer, ao surgir no Oscar de 1967 para a apresentar a categoria de Melhor Filme em Língua Não-Inglesa, ela foi ovacionada no palco do Dorothy Chandler Pavilion. 

7. VITÓRIA DE SOPHIA LOREN 

Em 1962, a Academia fez uma escolha ousada em Melhor Atriz. 

Mesmo com a possibilidade de premiar estrelas hollywoodianas do naipe de Audrey Hepburn, por “Bonequinha de Luxo”, ou Natalie Wood, de “Clamor ao Sexo”, o Oscar foi para a Sophia Loren, do excelente “Duas Mulheres”.

Foi a primeira vez em que uma interpretação vinda de um filme não falado em inglês saiu premiada. 

6. A VITÓRIA DE JOHN WAYNE 

Se o faroeste é o gênero mais marcante do cinema americano, o John Wayne foi a imagem dele. O homem corajoso, íntegro, valente e leal simbolizava também aquilo que os EUA gostariam de vender como marcas de suas supostas qualidades para o planeta inteiro. 

Esta persona, muitas vezes, fazia com que os personagens dele não apresentassem tanta variação de um para o outro. Ter sido indicado apenas uma vez ao Oscar durante o auge da carreira mostra muito bem isso. 

Porém, a Academia sempre dá um jeito de consagrar as principais estrelas da história de Hollywood. 

Apesar de não esbanjar a vitalidade de outrora, o Wayne segue sendo o herói americano perfeito com uma pontinha de anti-herói e o ponto alto do fraco “Bravura Indômita”. O Oscar, entretanto, veio mais pelo conjunto da obra do que pela atuação em si. 

Afinal, em um mundo justo, o Dustin Hoffman ou o Jon Voight deveriam ter sido os ganhadores por “Perdidos na Noite”. 

5. O DISCURSO DE ALFRED HITCHCOCK 

Toda lista das maiores injustiças da história do Oscar que se preze traz o nome de Alfred Hitchcock. Afinal, o mestre do suspense chegou a ser indicado por obras-primas como “Rebecca”, “Janela Indiscreta” e “Psicose”, porém, nunca venceu Melhor Direção. 

Em 1968, a Academia resolveu homenageá-lo com o prêmio Irving G Thalberg. E Hitchcock fez um dos discursos mais memoráveis da história do evento. 

Ganhador de dois Oscars naquela década com clássicos dos musicais como “Amor Sublime Amor” e “A Noviça Rebelde”, o Robert Wise ressaltou a carreira do diretor e o chamou ao palco. Todo elegante e com seu jeito peculiar de andar, o Hitchcock recebe o prêmio e inspirado diz: ‘THANK YOU’. E vai embora.

Precisa de mais? 

4. ADIAMENTO POR MARTIN LUTHER KING

O assassinato do reverendo e líder do movimento negro dos EUA, Martin Luther King, no dia 4 de abril de 1968, fez a Academia mudar os planos da cerimônia daquele ano. 

Inicialmente, a festa seria realizada no dia 8 de abril, porém, como o funeral estava marcado para o dia 9, a decisão foi adiar a festa para 10 de abril. Mesmo assim, o clima não era dos melhores. 

Logo no início da cerimônia, o Gregory Peck subiu ao palco para dar as boas-vindas e prestou solidariedade aos familiares de Martin Luther King, exaltando a importância dele nos EUA. Também citou como a seleção de filmes daquele ano tocava, entre outros assuntos, no racismo como visto em “No Calor da Noite” e “Adivinhe quem vem para Jantar?”. Também pedindo união através da compaixão e como o cinema como espaço para celebrar a dignidade humana independente de qualquer diferença de raça, crença ou nacionalidade.  

3. EMPATE ENTRE KATHARINE HEPBURN E BARBRA STREISAND

Seis empates aconteceram na história do Oscar. E um deles reuniu duas lendas de Hollywood. 

Em 1969, a Barbra Streisand estreou nos cinemas de maneira brilhante com “Funny Girl”, enquanto a Katharine Hepburn esbanjava ironia e cinismo em “Um Leão no Inverno”, um dos melhores trabalhos dela na carreira. As duas tiveram 3030 votos e dividiram a estatueta.

A única diferença é que a Barbra foi na festa. Já a Hepburn manteve a tradição de não ir. 

2. VITÓRIA DE SIDNEY POITIER 

Para hoje vermos brilharem astros como Denzel Washington, Forest Whitaker ou Daniel Kaluuya foi porque alguém abriu esse caminho lá atrás.

E o nome foi Sidney Poitier, o primeiro homem negro indicado a vencer o Oscar. 

A estatueta veio na edição de 1964 quando ele foi premiado por sua contagiante atuação em “Uma Voz nas Sombras”.

A alegria do anúncio feito pela Anne Bancroft, a corrida de felicidade até chegar ao palco e o sorriso de orelha a orelha do Poitier tornam este momento inesquecível. 

1. FIM DA ERA DO PRETO E BRANCO 

Competindo com a televisão no fim dos anos 1950 e início dos 1960, o cinema americano abraçou de vez o colorido, deixando o preto e branco em segundo plano. O Oscar refletiu bem essas mudanças. 

Em 1961, “Se o Meu Apartamento Falasse”, do Billy Wilder, se tornou o último longa daquela era em preto e branco a sair ganhador de Melhor Filme. Isso só foi se repetir em 1994 com “A Lista de Schindler”, e 2012 com “O Artista”. 

A própria cerimônia não ficou fora da transformação tecnológica. 

Em 1966, o Oscar foi transmitido em cores pela primeira vez, permitindo ao público ver com mais detalhes o tapete vermelho e o palco da cerimônia que tinha 42 fontes borrifando água.  

Dois anos depois, a cerimônia decidiu unificar as categorias de Direção de Arte, Fotografia e Figurino sem mais divisão entre filmes coloridos e preto e branco. 

Oscar: Indicados a Melhor Filme que poderiam ficar de fora

Caio Pimenta analisa quais produções indicadas ao Oscar de Melhor Filme poderiam ter ficado na lista entre 2010 a 2021. OSCAR 2010  O primeiro Oscar que permitiu novamente 10 filmes indicados na categoria máxima após quase sete décadas trouxe uma lista bem...

Oscar: TOP 10 Ganhadores de Melhor Direção na Década de 1950

Hora do TOP 10 dos ganhadores do Oscar de Melhor Direção nos anos 1950. Essa lista leva em consideração as edições de 1950 a 1959.  https://www.youtube.com/watch?v=I5Tm-AmJP2s  10. JOSEPH L. MANKIEWICZ, POR "QUEM É O INFIEL?"...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 6

De Martin Scorsese a Peter Jackson, Caio Pimenta apresenta mais possibilidades de filmes para disputar o Oscar 2022. https://youtu.be/5djhrFXK5PI KILLERS OF THE FLOWER MOON  Depois de ver “O Irlandês” sair sem Oscar algum em 2020, o Martin Scorsese deve vir com sangue...

Oscar: TOP 10 Ganhadores de Melhor Ator na Década de 1950

De Broderick Crawford a David Niven, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos vencedores do Oscar de Melhor Ator nos anos 1950.  https://www.youtube.com/watch?v=l8mkXAdFUOY 10. WILLIAM HOLDEN, por "Inferno Número 17" https://www.youtube.com/watch?v=A49F9e2_AWs O primeiro e...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 5

De Lázaro Ramos a Rodrigo Santoro, confira quais filmes brasileiros podem aparecer na disputa pelo Oscar 2022. https://www.youtube.com/watch?v=5Wt4K5E300A MEDIDA PROVISÓRIA  Já pensou o Congresso Nacional determinar o retorno de todas as pessoas com “melanina...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 4

De Steven Spielberg a Bradley Cooper, Caio Pimenta traz a quarta parte de possíveis candidatos ao Oscar 2022.  https://www.youtube.com/watch?v=8httML5WBLA AMOR SUBLIME AMOR https://www.youtube.com/watch?v=A2Nm_5rxpY4 O Steven Spielberg já passou pelos mais diversos...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1970

De Marlon Brando a “Um Estranho no Ninho”, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos maiores momentos da história do Oscar na década 1970. 10. VITÓRIAS DE "UM ESTRANHO NO NINHO" https://www.youtube.com/watch?v=v3MHfxDG5Vg Se dominar o Oscar em anos não tão fortes como...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1980

De Sally Field a Cher, Caio Pimenta apresenta o TOP 10 dos maiores momentos da história do Oscar na década 1980.  https://www.youtube.com/watch?v=N7rI7IAj8T0 10. CRIAÇÃO DA CATEGORIA DE MAQUIAGEM  https://www.youtube.com/watch?v=G6f7by_UMNw&pp=qAMBugMGCgJwdBAB Em...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 2

Com filmes de Guillermo Del Toro, Will Smith, Ana de Armas e Nicole Kidman, Caio Pimenta divulga a segunda parte de possíveis candidatos ao Oscar 2022.  https://www.youtube.com/watch?v=D3KvgHzDdAI O BECO DAS ALMAS PERDIDAS  O Guillermo Del Toro conquistou o Oscar em...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1990

Chegou a hora de trazer os maiores momentos do Oscar na década de 1990 aqui no canal do Cine Set no YouTube. Aqui, levo em conta as edições de 1991 a 2000.  https://www.youtube.com/watch?v=me3D8bXcuEk 10. VITÓRIA DE STEVEN SPIELBERG ...