Em meio a tantas produções de gosto duvidoso nos últimos anos em seu catálogo, não deixa de ser animador encontrarmos, eventualmente, alguns bons lançamentos na Netflix. “Meu Nome é Dolemite” foi uma novidade positiva em outubro e, agora, “Pássaro do Oriente” cumpre a cota de novembro. O novo filme do streaming é charmoso, tem um elenco competente e entrega um bom suspense.

Baseado no livro “Delito Sem Provas”, escrito por Susanna Jones, “Pássaro do Oriente” se passa no final dos anos 1980 e acompanhamos Lucy Fly (Alicia Vikander), uma tradutora vivendo no Japão para fugir do passado. A protagonista conhece a garçonete Lily (Riley Keough) e o fotógrafo Teiji (Naoki Kobayashi), iniciando um estranho relacionamento com o rapaz e se sentido, ao mesmo tempo, atraída e incomodada por Lily. Tudo vira de cabeça para baixo quando sua nova amiga desaparece e ela se torna suspeita de um suposto assassinato.

Vencedora do Oscar por “A Garota Dinamarquesa”, Alicia Vikander se destaca ao transmitir toda a personalidade disciplinada da tradutora através de pequenos atos, como, por exemplo, arrumar as roupas e amarrar o cabelo. Esse estilo metódico também se dá na inserção de Lucy ao Japão, seja visitando monumentos ou no interesse da cultura e história local.

Por tudo isso, não deixa de ser justificado a decepção e frustração da personagem ao se dar conta de que está perdendo o controle de algo que ela tinha certeza que já estava morto no passado. Isso aliado à sua desconfiança e ciúme passam a sufocá-la não importa onde esteja. O simbolismo da morte, do sentimento de culpa de seu passado – os grandes fardos da personagem – só alimentam uma melancolia bem construída pelo diretor e roteirista Wash Westmoreland (“Para Sempre Alice”) junto com a trilha de Atticus Ross (“A Rede Social”).

INTENSO JOGO SEDUTOR

A relação da protagonista com Lily e Teiji também cria um interesse jogo de mistério e sedução em “Pássaro do Oriente”. Inicialmente uma amizade, os personagens de Vikander e Kobayashi desenvolvem uma tensão sexual crescente apenas com poucos diálogos e troca de olhares. Não apenas a beleza dele a atrai: a sinceridade e aparente falta de timidez, tão tradicional nos jovens japoneses, a conquistam.

A forma como o desejo, admiração, dependência crescem faz até mesmo ela sugerir tolerar abusos, que automaticamente, são descartados pelo rapaz. “Não, você não quer”, responde repreendendo a moça de maneira doce.

Já Lily traz um paralelo com os terremotos que sacodem “Pássaro do Oriente” regularmente. Imprevisível, ela chega ao Japão sem saber o idioma e conquista por sua espontaneidade em meio à desorganização, algo completamente oposto à Lucy. Talvez isso fascine tanto a protagonista.

Instigante e bem construído, “Pássaro do Oriente” pode até cair em determinados clichês, porém, acaba por ser uma boa surpresa no catálogo da Netflix.

‘A Nuvem Rosa’: ficção científica dos nossos tempos

"Qualquer semelhança com fatos reais é mera coincidência". Esta é a frase que a cineasta gaúcha Iuli Gerbase escolhe para abrir o seu primeiro longa-metragem intitulado "A Nuvem Rosa". O aviso prévio acaba se tornando um conselho ao espectador de como receber o filme....

‘Roaring 20s’: Nouvelle Vague encontra Linklater em passeio por Paris

Um dos filmes mais charmosos exibidos no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary deste ano, "Roaring 20s", segundo longa de Elisabeth Vogler, é uma viagem bem-humorada pelo coração de Paris em um dia de verão. A produção, que recebeu o prêmio de Melhor...

‘Batman’ (1989): o filme que mudou a visão sobre super-heróis em Hollywood

Eu jamais vou esquecer aquele momento. Viaje no tempo comigo, leitor: 1989, tarde de domingo no centro de Manaus. Fui ver Batman de Tim Burton com toda a minha família. Foi no Cine Chaplin e a sala estava lotada, com gente sentada até no chão dos corredores – algo...

‘Otar’s Death’: comédia de olhar irônico sobre a mesquinhez humana

Uma relação em frangalhos, um acidente e uma quantia enorme de dinheiro são os elementos que colocam "Otar's Death" em movimento. O filme de estreia do diretor georgiano Ioseb 'Soso' Bliadze, que estreou na mostra Leste do Oeste do Festival Internacional de Cinema de...

‘Memória’: Apichatpong Weerasethakul anda em círculos em viagem à Colômbia

Na calada da noite, a protagonista de "Memória", novo filme de Apichatpong Weerasethakul (“Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas”), acorda com um barulho. Ela está desperta e sabe, de forma inata, que nada será como antes. Infelizmente, a mesma sensação...

‘Cop Secret’: ex-goleiro estreia na direção com subversiva sátira aos filmes de ação

O goleiro Hannes Þór Halldórsson se despediu da seleção da Islândia, em setembro deste ano, depois de 10 anos que viram o time alcançar algumas de suas maiores consagrações – a ida à primeira Copa do Mundo em 2018 e chegar às quartas de final da Eurocopa 2016. No...

‘Maligno’: a bem-vinda alquimia macabra de James Wan

Caro leitor, uma perguntinha pra você: quando foi a última vez em que você estava vendo um filme e ficou com a sensação de que não tinha a menor ideia de para onde a história estava indo? Quando foi a última vez em que disse para você mesmo: “não sei para onde isso...

‘Espíritu Sagrado’: sci-fi espanhola de caminhos intrigantes

Em "Espíritu Sagrado", crianças desaparecem, ovnis aparentam estar circulando pelos céus e grandes conspirações se mostram onipresentes. No entanto, no rico microcosmo criado pelo diretor e roteirista Chema García Ibarra, nada é exatamente como parece. Esta...

‘A Máquina Infernal’: o aterrorizante mercado de trabalho brasileiro

"A Máquina Infernal", curta de estreia do roteirista Francis Vogner Dos Reis, reimagina a falência de uma fábrica do ponto de vista do empregado, trocando o realismo por um clima de puro terror. O filme foi uma das duas produções brasileiras selecionadas para o...

‘Fantasma Neon’: musical dos trabalhadores invisíveis do Brasil

Se quem canta, seus males espanta, um entregador de comida tem que passar o dia todo cantando pra ter paz. Essa é a premissa de "Fantasma Neon", uma explosão de cor, dança e música que representou o Brasil no Festival de Locarno deste ano. O filme dirigido por...