Conhecido principalmente por protagonizar filmes de ação como a franquia ‘Busca Implacável’, Liam Neeson aproveita o seu destaque no drama ‘Nosso Amor’ para entregar uma atuação emocionante ao lado de Lesley Manville (indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por ‘Trama Fantasma’). No longa, eles protagonizam um casamento de muitos anos com humor e cumplicidade quando Joan (Manville) é diagnosticada com câncer de mama e o casal passa por mais uma crise desde a morte de sua filha. 

Sem possuir uma proposta extraordinária ou que exale originalidade, “Nosso Amor” consegue se destacar pela destreza no roteiro em aliar uma temática densa e já muito vista no cinema como o câncer com o humor e o cotidiano de um casal de meia idade. Em diversos momentos essa proposta chega perto de clichês próprios de romances, mas, todos justificados pela história, mostrando ter uma utilidade para a narrativa, principalmente quando o objetivo é deixar a trama mais fluida. 

Logo na primeira cena, sem nenhum diálogo presente, é possível perceber que Lesley Manville e Liam Neeson são escolhas perfeitas de protagonistas. Além de ambos entregarem uma carga dramática na medida certa em discussões mais densas, eles também possuem um magnetismo enorme e a habilidade de fazer o público querer acompanhá-los, o que justifica a cena inicial e tantos outros momentos apoiados somente na atuação corporal de ambos. 

Responsável por retratar a intimidade de Joan e Tom, a fotografia de “Nosso Amor” mostra muita responsabilidade e até mesmo respeito em não sufocar os personagens e seus momentos mais delicados. Esse aspecto persiste durante toda a trama já que existe uma preocupação muito grande da diretora Lisa Barros D’Sa em mostrar explicitamente cada fase do câncer enfrentado por Joan. 

O grande C da questão  

Quando se fala em câncer nos filmes, principalmente em blockbusters ou produções para o público adolescente, existe sempre uma romantização excessiva sobre a doença, fugindo até da proposta de abordar o assunto em si. Nesse quesito, ‘Nosso Amor’ oferece uma verdadeira aula de como aliar o romance a uma temática tão séria e ainda conseguir colocar traços de humor, tirando também lágrimas do público. 

Independente se o tratamento do câncer de mama é ou não conhecido pelo público, “Nosso Amor” faz questão de mostrá-lo, exibindo detalhadamente cada processo enfrentado por Joan. A atuação de Leslie, realçando todo o desconforto e medo da situação, dá a dimensão do drama que tantas mulheres precisam lidar. E, mesmo se tornando a temática central do longa, se não é limitado somente a isto, mas sim, uma motivação para o público ver a dinâmica entre os personagens, entender e se interessar por suas histórias. 

Outro elemento que ajuda muito a cumprir o objetivo de “Nosso Amor” em mostrar os diferentes momentos da doença em Joan é a caracterização de Manville. Chega a ser surreal comparar a atriz no início e fim do longa e perceber quantas mudanças foram necessárias para mostrar os efeitos causados pelo câncer de mama e, principalmente, por seu tratamento. Devido a este cuidado, “Nosso Amor” se aproxima muito de um retrato verídico sobre a doença ao mesmo tempo em que narra uma história fácil de ser acompanhada e ainda presenteia o público com ótimas atuações. 

‘Uma Noite em Miami’: ícones da cultura negra convidam à resistência

Chega a ser curioso como “Uma Noite em Miami” ganhou configurações diferentes ao longo do tempo até o lançamento em janeiro de 2021. Afinal, na época em que foi idealizado e gravado, os EUA tinham Donald Trump no comando com sua política de lei e ordem a todo vapor...

‘Mulher Maravilha 1984’: DC regride com bomba vergonhosa

A história se repete, certo? Passamos a vida ouvindo esse ditado, e parece que é verdade mesmo. No panteão dos quadrinhos super-heróicos da DC Comics, Superman, Batman e Mulher Maravilha são conhecidos entre os fãs como “a trindade” da editora. São reconhecidamente os...

‘Soul’: brilhante animação sobre quem realmente somos

“Editor-chefe do Cine Set. Exerce o cargo de diretor de programas na TV Ufam. Formado em jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas com curso de pós-graduação na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo”.  Você encontra este texto na parte ‘Sobre o Autor’ desta...

‘O Céu da Meia-Noite’: George Clooney testa paciência em sci-fi sofrível

Galã charmoso dos moldes da Hollywood nos anos 1950, George Clooney construiu gradualmente uma trajetória para além deste rótulo. Depois de aprender com o fracasso de “Batman & Robin”, ele começou a selecionar melhor os projetos em que se meteria – até venceu o...

‘The Nest’: elegante jogo das aparências mistura drama e terror

Depois de surpreender com uma narrativa envolvente no longa de estreia em “Martha Marcy Mae Marlene”, Sean Durkin retorna nove anos depois com “The Nest” (“O Ninho”, em tradução literal). Acompanhado de atuações excelentes de Carrie Coon e Jude Law, ele traz o...

‘Let Them All Talk’: Soderbergh entre Bergman e Allen sem ser incisivo

'Galera, é o seguinte: estou pensando em fazer um filme todo gravado em um transatlântico. Vocês topam?’.  Se receber um convite destes seria tentador por si só, imagine vindo de Steven Soderbergh, diretor ganhador da Palma de Ouro do Festival de Cannes em 1989 por...

‘A Voz Suprema do Blues’: estado puro dos talentos de Viola Davis e Chadwick Boseman

"A Voz Suprema do Blues” reúne a mesma trinca de “Um Limite Entre Nós”: Viola Davis de protagonista em um filme produzido por Denzel Washington baseado em uma peça do dramaturgo August Wilson. Além dos nomes envolvidos, o projeto da Netflix guarda as qualidades – um...

‘First Cow’: uma lembrança sobre a necessidade da solidariedade

Não me surpreendo caso muitos perguntem os motivos de “First Cow” ser tão badalado e elogiado pela crítica internacional. Muito menos de uma possível insatisfação generalizada caso o longa dirigido, roteirizado e montado por Kelly Reichardt (“Certas Mulheres”) chegue...

‘À Luz do Sol’: potência de protagonistas ilumina a tela em documentário paraense

Documentário paraense selecionado para a mostra competitiva do Festival Olhar do Norte 2020, “À Luz do Sol” segue o caminho de produções como o amazonense “Maria”, de Elen Linth, e o longa alagoano “Cavalo”, da dupla Rafhael Barbosa e Werner Salles, marcados pela...

‘Raimundo Quintela – O Caçador Vira Porco’: Sherlock amazônico em aventura agradável

Misturar elementos da cultura pop e do cinema hollywoodiano com as lendas e crenças da Amazônia formam a base de “Raimundo Quintela – O Caçador Vira Porco”, curta-metragem paraense dirigido por Robson Fonseca. Vencedor de três categorias da mostra competitiva do...