“Um épico filme de ação e aventura que pega o adorável conceito dos feriados e vira de cabeça para baixo”. Com essa modéstia toda, a Amazon Studios anunciou “Red One”, nova produção estrelada por Dwayne Johnson. O astro se reunirá novamente com o roteirista Chris Morgan, da série “Velozes e Furiosos“.

“Estou muito impressionado com Jennifer Salke [presidente do Amazon Studios] e a visão e ambição de sua equipe para criar um universo enorme, divertido e único de “Red One” para famílias em todo o mundo”, disse Johnson. A expectativa é que “Red One” se torne uma franquia com diversos filmes ao longo dos próximos anos.

O projeto era um dos mais disputados do mercado, especialmente, pelos serviços de streaming. De acordo com a Variety, a compra sinaliza que a Amazon está disposta a investir mais em produções populares com o intuito de seguir forte em meio à concorrência da Netflix, Disney Plus, HBO Max e Paramount Plus, caminho consolidado após a chegada da executiva Jennifer Salke. Até recentemente, a empresa estava focada em obras mais voltadas para a temporada de premiações como “Manchester à Beira-Mar“.

“Red One” ainda não tem data para estrear nos cinemas.

Michel Guerrero e as memórias da infância no Cine Carmen Miranda

Michel Guerrero possui uma longa carreira no teatro manauara, incluindo sua personagem mais famosa, Lady Park. Agora, ele revive sua paixão de infância pelo cinema para produzir seu primeiro curta-metragem como diretor, “Cine Carmen Miranda”. Partindo de uma narrativa...

Cláudio Bitencourt e Diego Lopes: “o talento do Marco Ricca elevou ainda mais ‘Lamento’”

Glamourosos e com uma diversidade de gente de todos os tipos entre hóspedes e clientes, hotéis sempre foram locais adorados por roteiristas e diretores para ambientarem suas produções. De Edmund Goulding em "O Grande Hotel" (1932) ao clássico "O Iluminado", de Stanley...

Daniel Nolasco: ‘A História brasileira ressignificou ‘Vento Seco’’

"Vento Seco" estreia no circuito comercial dos cinemas brasileiros em um mundo bem diferente de quando foi formulado inicialmente lá no longuíquo 2013. A chegada de um governo de extrema-direita ao poder e todo o preconceito contra minorias trazido por ele coloca...

Ignacio Rogers: ‘’O Diabo Branco’ mostra como as feridas da colonização seguem abertas’

 Com uma trajetória na carreira de ator iniciada em 2005, o argentino Ignacio Rogers resolveu se aventurar na direção de longas-metragens neste ano com “O Diabo Branco”. A produção em cartaz nos cinemas brasileiros toca em pontos sensíveis da colonização...

Heitor Dhalia: ““Anna” foi um filme desafiado pelo seu tempo”

Um nome importante do meio artístico utilizando seu prestígio para promover um ambiente tóxico de trabalho ao promover abusos morais e até sexuais a seus subordinados. Não, ainda não se trata da cinebiografia de Harvey Weinstein e sim do mote principal de “Anna”, novo...

Lucas Salles: “filmes como ‘Missão Cupido’ trazem a esperança de um final feliz”

Vindo de uma geração marcada pela transformação tecnológica, Lucas Salles é um bom exemplo de artista multiplataforma. Já foi repórter do 'CQC' e do 'Pânico na Band', realiza stand-up comedy no teatro, foi apresentador da "A Fazenda Online" e também investe na...

Lírio Ferreira: “‘Acqua Movie’ é uma extensão espiritual de ‘Árido Movie’”

A Retomada do Cinema Brasileiro viu surgir uma nova geração de diretores pernambucanos com impacto de influenciar e referenciar a produção nacional fora do eixo Rio-São Paulo. Lírio Ferreira abriu as portas em 1997 com o já clássico “Baile Perfumado”. Ao som do mangue...

Ricardo Calil: ‘Cine Marrocos’ simboliza os desencontros do Brasil com a cultura e os sem-tetos’

Ricardo Calil ficou conhecido como documentarista de grandes filmes sobre a música e a cultura brasileira. São dele produções como “Uma Noite em 67” sobre o célebre Festival da Record com estrelas como Roberto Carlos, Chico Buarque, Os Mutantes e Gilberto Gil; “Eu Sou...

Gustavo Pizzi: “‘Gilda’ representa a luta contra a imposição externa sobre a própria vida”

No Brasil 2021 de Jair Bolsonaro, uma mulher livre, dona do próprio corpo e contrária a opressão masculina incomoda muita gente. “Os Últimos Dias de Gilda”, série disponível na Globoplay, mostra muito bem isso.  A produção exibida na Berlinale Series neste ano estreou...

Júlia Rezende: “’Depois a Louca Sou Eu’” pode ser uma ponte de diálogo sobre a ansiedade’

“Meu Passado me Condena 1 e 2”, “Ponte Aérea” e “Uma Namorado para a Minha Mulher”. Todos os estes filmes são sucessos recentes da comédia romântica brasileira dirigidas pela Júlia Rezende. E ela está chegando nos cinemas com “Depois a Louca Sou Eu” com a Débora...