De Martin Scorsese a Peter Jackson, Caio Pimenta apresenta mais possibilidades de filmes para disputar o Oscar 2022.

KILLERS OF THE FLOWER MOON 

Depois de ver “O Irlandês” sair sem Oscar algum em 2020, o Martin Scorsese deve vir com sangue nos olhos em 2022 com “Killers of the Flower Moon”.

A produção marca um encontro histórico: será o primeiro filme do diretor com seus habituais parceiros juntos – o Robert De Niro e o Leonardo DiCaprio. 

A história se passa em 1920 mostrando a investigação de assassinatos em terras indígenas e em uma área rica em petróleo. O caso foi apurado pelo FBI, órgão então recém-criada pelo governo dos EUA. 

O Scorsese é sempre um nome para ficar de olho, afinal, não é todo diretor que teve seis produções indicadas a Melhor Filme no Oscar neste século.

A questão é se “Killers of the Flower Moon” consegue ficar pronto até o fim do ano. Caso ocorra, pode chegar forte nas categorias máximas e nas áreas técnicas. 

O ÚLTIMO DUELO 

O Ridley Scott perdeu o Oscar 2001 para o Steven Soderbergh que concorria por “Erin Brokovich” e “Traffic”, projeto pelo qual ele foi o vencedor.

Agora, você já pensou se o diretor de “Alien” e “Blade Runner” obter uma nomeação dupla no ano que vem? 

Além de House of Gucci”, o Scott pode aparecer com “O Último Duelo”. A produção mostra, como diz o título, o derradeiro conflito pela honra na França entre um cavaleiro e um escudeiro, acusado de se envolver com a esposa do patrão. 

O roteiro é do Matt Damon e Ben Affleck, vencedores do Oscar por “Gênio Indomável”. O elenco conta, além da dupla, com o Adam Driver e Jodie Comer.

A única preocupação é que os últimos épicos do Ridley Scott foram “Robin Hood” e “Êxodo – Deuses e Reis”. 

TEMPO 

O M. Night Shyamalan foi indicado apenas uma vez ao Oscar a Melhor Filme em 2000 por “O Sexto Sentido”. Conseguirá ele voltar ao prêmio com “Tempo”? 

A história mostra uma família indo viajar de férias para uma ilha tropical. Lá, porém, o tempo estranha passa mais rápido, anos durando minutos e envelhecendo rapidamente. Caberá a eles entender o que está acontecendo. 

O grande dilema é o Shyamalan superar as resistências e desconfianças a ele pelo histórico de filmes divisivos, além dos preconceitos com os filmes de terror. 

THE TENDER BAR 

O George Clooney bem que tentou, mas, “O Céu da Meia-Noite” seguiu os caminhos dos filmes anteriores dele e passou longe das categorias principais do Oscar.  

Em 2022, ele tentará voltar com “The Tender Bar”, drama baseado no livro de memórias de J.R. Moehringer trazendo a busca do escritor por uma figura paterna entre os clientes do bar do tio dele. 

O Ben Affleck, Tye Sheridan e Christopher Lloyd são os protagonistas do projeto que será uma das apostas da Amazon Studios para a temporada de premiações. 

MADRES PARALELAS 

O Pedro Almódovar estava sumido do Oscar até voltar com as duas indicações por “Dor e Glória”. Em 2021, porém, “A Voz Humana” ficou de fora de Melhor Curta-Metragem de Ficção.  

No ano que vem, o espanhol busca o retorno ao Oscar com “Madres Paralelas”.  

A produção marca uma nova parceria com a Penélope Cruz e traz a história de três mulheres que se tornam mãe no mesmo dia. Nisso, acompanhamos os dois primeiros anos de maternidade de ambas. 

Caso não seja lançado no Festival de Cannes, a expectativa fica pela estreia em Veneza, onde tem sido muitos bons candidatos ao Oscar.    

ANNETTE 

Filme de abertura do Festival de Cannes deste ano, “Annette” é um musical dirigido pelo Leos Carax traz a história do casal vivido pelo Adam Driver, um ator de stand-up comedy, e Marion Cotillard, uma cantora da fama internacional. O nascimento da primeira filha, Annette, uma “menina misteriosa com um destino excepcional” altera o rumo da vida deles. 

Apesar de ser um diretor amado pelos críticos com filmes como “Holy Motors”, o Leos Carax passa bem longe do convencional adorado pela Academia ou até mesmo de algum tipo de experimentalismo abraçado vez ou outra pela Oscar. O radicalismo dele sem muitas concessões pode afastá-lo da premiação.  

Por outro lado, ser o primeiro filme dele falado em inglês ao lado de dois astros queridos por Hollywood e fazer um musical, gênero que a Academia tem uma quedinha história, pode ajudá-lo. 

THE HAND OF GOD 

Em 2022, o Paolo Sorrentino pode fazer o Oscar voltar para a Itália com “The Hand of God”. A produção da Netflix ainda não tem tantos detalhes assim sobre qual a história, porém, o diretor promete seu filme mais pessoal e íntimo. 

Vale lembrar que, ao ser anunciado, o projeto deu a maior polêmica por conta do título: “The Hand of God” faz alusão ao célebre gol de mão do Maradona na Copa de 1986. O craque argentino até prometeu processar o Sorrentino, mas, o caso não foi adiante até por conta da morte do gênio em novembro passado. 

Sorrentino foi o responsável pelo último Oscar da Itália em 2014 por “A Grande Beleza”. 

MEN 

O Alex Garland surgiu surpreendendo a ficção científica com o ótimo “Ex-Machina”. Depois, dividiu muita gente com “Aniquilação”. Agora, ele retorna com “Men”. 

Conhecida por “Estou Pensando em Acabar com Tudo”, a Jessie Buckley interpreta uma mulher viajando para o interior da Inglaterra sozinha após a morte do marido. Pouco se sabe mais sobre o projeto; há quem aponte se tratar de um terror de baixo orçamento como o próprio Garland havia prometido fazer tempos atrás. 

Men” é produzido pela A24, o estúdio preferido dos cinéfilos na atualidade. Então, deve vir coisa boa por aí e, quem sabe, chegando no Oscar. 

APOLLO 10 ½ 

Quem acompanha o canal sabe o quanto eu gosto do Richard Linklater. O diretor já deveria ter vencido um Oscar de direção ou roteiro há muito tempo seja com a trilogia “Antes do Amanhecer” ou com “Boyhood”. 

Em 2022, ele aposta na animação com “Apollo 10 ½” No filme, o Linklater traz um clássico coming of age, aqueles longas sobre amadurecimento da adolescência para a vida adulta, justo durante a missão da chegada do homem à Lua. Jack Black e Zachary Levi estão confirmados no elenco de dubladores. 

A produção é da Netflix que tenta a primeira vitória em Melhor Animação. 

THE BEATLES: GET BACK 

Para fechar, temos o Peter Jackson disposto a levar o Oscar de Melhor Documentário. 

Em “The Beatles: Get Back”, acompanharemos o turbulento processo de gravações do último álbum da banda e a apresentação especial feita no telhado da gravadora Apple Corps. O diretor teve acesso a 58 horas de material inédito e promete novidades até para quem acha que conhece tudo dos Beatles. 

O Peter Jackson segue se aventurando pelo documentário desde o fim da trilogia “O Hobbit”. O diretor já havia comandado o elogiado “Eles Não Envelhecerão”, mas, não chegou a ser nomeado. Quem sabe eles não corrigem este erro em 2022? 

Oscar 2022 de Melhor Filme: Previsões Iniciais – Parte I

Chegou a hora de falar do Oscar 2022: a partir de agora até o dia 27 de março, tudo sobre o evento mais popular do cinema você encontra aqui no canal do Cine Set no YouTube.  Para começar, vamos com as previsões iniciais para Melhor Filme. Nesta primeira parte, tem...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Martin Scorsese

Pode-se dizer sem pestanejar que Martin Scorsese seja o maior diretor vivo do cinema dos EUA. Na história, está ao lado de D.W Griffith e John Ford como os maiores de todos os tempos.  As obras de Scorsese são fundamentais para entender a criação, formação e as...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Robert De Niro

Do patriarca da família mais famosa do cinema a um taxista em crise passando por um boxeador campeão e perturbado: grandes papéis não faltaram na carreira do Robert De Niro. Da comédia ao drama, ele brilhou em obras-primas históricas.  Ao longo da carreira, foi...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Steven Spielberg

Raros diretores conseguiram ser tão felizes ao aliar sucesso de público, comercial com produções elogiadas pela crítica com o Steven Spielberg. Desde o suspense “Encurralado” à aventura “Jogador Número 1”, ele experimentou os mais diversos gêneros ao longo de quatro...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Cate Blanchett

Cate Blanchett: o ideal de atriz de uma geração.  Essa era o título de um artigo do Cine Set sobre a carreira desta australiana feito pelo Renildo Rodrigues. O link está na descrição.  E cá entre nós, o título de modo algum parece exagerado: a Cate Blanchett, ao lado...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Dustin Hoffman

Baixinho, nem fortão nem magrelo, muito menos um símbolo sexual de parar avenidas.   O Dustin Hoffman poderia ser uma antítese daquilo que Hollywood consagrou como uma estrela do cinema, porém, é justamente essa capacidade do público enxergar nele uma pessoa como seu...

Oscar: 10 Filmes que Mereciam Mais Indicações entre 2016 e 2021

Sabe aquelas grandes produções que poderiam ter ido mais longe do Oscar? Conseguido uma indicação a Melhor Filme, por exemplo? Neste vídeo, Caio Pimenta fala sobre as 10 maiores entre 2016 e 2021 levando em consideração obras que foram indicadas ao prêmio....

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 8

De "Cyrano" a "Encanto", Caio Pimenta apresenta mais possibilidades de filmes para disputar o Oscar 2022 nesta oitava parte do especial. https://www.youtube.com/watch?v=Svbz5YvQ87A BLUE BAYOU  https://www.youtube.com/watch?v=KvNCMXgRo8w Vamos começar com uma produção...

Oscar: TOP 10 Atuações Esnobadas entre 2000-2010

Chegou a hora de escolher 10 grandes atuações esnobadas no Oscar entre 2000 a 2010. A lista leva em conta atuações nomeadas para o Bafta, Globo de Ouro e SAG daqueles anos. https://www.youtube.com/watch?v=_vz0vCsdoUo 10. MAGGIE GYLLENHALL, por "SECRETÁRIA" A Maggie...

Oscar 2022: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 7

De “The Eyes of Tammy Faye” a “Medusa”, Caio Pimenta apresenta mais possibilidades de filmes para disputar o Oscar 2022.  https://www.youtube.com/watch?v=bCuHGbgJ_iA THE EYES OF TAMMY FAYE  https://www.youtube.com/watch?v=6xBXRn3BvGY Tenho falado bastante de...