O Woody Allen compareceu apenas uma vez à cerimônia do Oscar: foi em 2002 para introduzir um curta de Nora Ephron sobre os filmes rodados em Nova York, cidade que se recuperava dos traumáticos atentados de 11 de setembro do ano anterior. 

Apesar de nunca aparecer nas festas, o Woody Allen nunca era deixado de lado pela Academia: ao longo da carreira, acumulou 24 indicações com quatro vitórias.  

Neste vídeo, me concentro nas sete nomeações dele a Melhor Direção, elegendo da pior à melhor, além da maior esnobada.  

7. BROADWAY DANNY ROSE 

A indicação mais fraca da carreira do Woody Allen vem justamente do filme menos conhecido da lista. 

Em 1985, o novaiorquino conseguiu uma inesperada nomeação por “Broadway Danny Rose”. Contando com uma fotografia excelente do Gordon Willis, o Woody Allen brinca com os filmes de máfia e o showbusiness enquanto reflete sobre remorsos e pesos na consciência em relação às nossas atitudes. 

Apesar de ser um trabalho bem descontraído, não tinha como o Woody Allen sequer sonhar em vencer o Milos Forman pelo clássico “Amadeus”. 

6. TIROS NA BROADWAY 

Por “Tiros na Broadway”, o Woody Allen foi indicado a Melhor Direção em 1995. 

Aqui, o diretor consegue desenvolver melhor a história do que fizera em “Danny Rose”, produção com temática semelhante ao falar do mundo das artes envolvido com a máfia. Para completar, consegue tirar o melhor de um ótimo elenco com nomes como John Cusack e Dianne Wiest. 

Perdeu para o Robert Zemeckis, de “Forrest Gump”, em um Oscar em que o vencedor moral foi o Quentin Tarantino, de “Pulp Fiction”. 

5. INTERIORES 

O Woody Allen provou que poderia sim fazer drama muito bem com “Interiores” e conseguiu a indicação ao Oscar de 1979. 

O novaiorquino não esconde beber completamente da fonte de Ingmar Bergman e, ainda que soe engessado em determinados momentos, consegue extrair uma história densa sobre as angústias de pessoas incapazes de atingir as altas metas e desejos colocados por elas mesmas a si próprias. 

O Oscar de 1979 ficou nas mãos do Michael Cimino, de “O Franco-Atirador“, uma vitória justa demais. 

4. MEIA-NOITE EM PARIS 

A última indicação do Woody Allen em Melhor Direção veio por um dos filmes mais espirituosos dele. 

“Meia-Noite em Paris” parte de uma reflexão clichê – a idealização do passado maravilhoso contra o presente pobre – para ser uma grande brincadeira e jogo de criatividade com mestres da arte. Tem uma sagacidade misturada com leveza que Woody Allen não encontrava em muito tempo e também não mais conseguiu repetir. 

No Oscar 2012, ele ganhou o Oscar que deveria ter vencido: Melhor Roteiro Original. Porém, em Direção, era para ter perdido para o Martin Scorsese, de “Hugo Cabret”, em vez do Michel Hazanavicius, de “O Artista”. 

3. HANNAH E SUAS IRMÃS 

O pódio abre com a indicação dele por “Hannah e Suas Irmãs”, em 1987. 

Aqui, o Woody Allen já demonstra ter encontrado o tom em seus dramas ao mesclar a complexidade à la Bergman com seu cinismo e bom humor. No longa, ainda consegue criar algumas das melhores cenas da carreira como a explosão do personagem de Max Von Sydow e a declaração de amor do personagem de Michael Caine. 

Nova derrota, desta vez, para o Oliver Stone, de “Platoon”. Não consigo dizer que é um resultado absurdo, mas, se o Oscar tivesse ido para o Woody Allen estaria em boas mãos também. 

2. CRIMES E PECADOS 

A medalha de prata deste ranking fica com o meu filme favorito do Woody Allen. 

No excepcional “Crimes e Pecados”, acompanhamos duas histórias de traição: uma mais leve e bem-humorada com o Woody Allen e a segunda mais dramática com o excelente Martin Landau. O equilíbrio entre estas duas partes demonstra a habilidade do diretor em conduzir uma história como poucos extraindo delas questões complexas sobre a psiquê humana. 

O Woody Allen voltou a perder para o Oliver Stone, de “Nascido em Quatro de Julho”. Tão injusto quanto este resultado é “Crimes e Pecados” não ter sido nomeado a Melhor Filme, perdendo a vaga para “Campo dos Sonhos” e “Conduzindo Miss Daisy”. 

1. NOIVO NEURÓTICO, NOIVA NERVOSA 

Quantos ganhadores do Oscar podem ser colocados como premiações fora da curva, fora do tradicional? 

Perdidos na Noite”, “O Silêncio dos Inocentes”, “Moonlight”, “Parasita” são bons exemplos. 

Nesta lista também dá para incluir tranquilamente “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa”. 

Afinal, temos uma comédia urbana, engraçada, rápida, cínica, intelectual, mas, sem ser pedante e dialogando com todo público. Ainda consegue ser capaz de oferecer quebras narrativas eficientes sem perder o foco da história principal e, tudo isso, com uma universalidade cativante sobre o auge e decadência de um relacionamento amoroso. 

“Annie Hall” aproveitou os últimos suspiros do auge da Nova Hollywood para vencer este Oscar. Em qualquer outra época, provavelmente, as estatuetas de Filme e Direção teriam ido para “Julia” e o Fred Zinnemann. 

MAIOR ESNOBADA – A ROSA PÚRPURA DO CAIRO 

Evidente que sete indicações parecem pouco para tantos grandes filmes pelo Woody Allen. Ele poderia sido nomeado tranquilamente por “A Última Noite de Boris Grushenko”, “Manhattan”, “Zelig”, “Desconstruindo Harry” e “Match Point”. A maior esnobada, entretanto, veio nos anos 1980. 

Em “A Rosa Púrpura do Cairo”, o diretor traz um de seus filmes mais inspirados ao falar do fascínio do cinema causado em nós, cinéfilos inveterados. Somente as sequências dos personagens do filme dentro do filme dialogando com a personagem de Mia Farrow e entrando e saindo da tela já valeriam a nomeação. 

No Oscar 1986, dava para tirar tranquilamente o Peter Weir, de “A Testemunha”, John Huston, de “A Honra do Poderoso Prizzi” e até mesmo o vencedor Sydney Pollack, de “Entre Dois Amores” para colocar o Woody Allen.  

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Clint Eastwood e Francis Ford Coppola

De “O Poderoso Chefão” a “Cartas de Iwo Jima”, Caio Pimenta analisa da pior a melhor indicação de Clint Eastwood e Francis Ford Coppola ao Oscar. 4. SOBRE MENINOS E LOBOS  A primeira de uma série de três indicações consecutivas do Clint Eastwood aconteceu em 2004.  Em...

Oscar 2022: Cinco Narrativas de Grandes Candidatos a Prêmios

De Paul Thomas Anderson a Will Smith, Caio Pimenta aponta cinco narrativas que podem ajudar grandes nomes a levarem o Oscar 2022. https://www.youtube.com/watch?v=j4C7c3gIILo KENNETH BRANAGH   Em Melhor Direção, o Kenneth Branagh aparece como o favorito para levar a...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Denzel Washington

De “Um Grito de Liberdade” a “Roman J. Israel Esq”, Caio Pimenta analisa da pior a melhor indicação de Denzel Washington ao Oscar.  https://www.youtube.com/watch?v=EdFS6qS1DOI 8. ROMAN J ISRAEL ESQ  Das oito indicações do Denzel ao Oscar, o pior trabalho ficou...

Oscar 2022: As Possíveis Surpresas e Decepções da Temporada de Premiações

De “Licorice Plzza” a Ben Affleck, Caio Pimenta lista possíveis surpresas e decepções da temporada de premiações rumo ao Oscar 2022. https://www.youtube.com/watch?v=wK7wzJ40eGo AS POSSÍVEIS SURPRESAS  Que “Licorice Pizza” estará no Oscar, isso é mais do que certo....

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Nicole Kidman e Jennifer Lawrence

Das nomeações por "Moulin Rouge" e "Inverno da Alma" a "Lion" e "Joy", Caio Pimenta analisa quais as melhores e piores indicações de Nicole Kidman e Jennifer Lawrence no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=T_TfJwxVcwI 4. LION  Começamos com a Nicole Kidman e sua...

Lady Gaga e Kristen Stewart: Quem Chega Mais Forte no Oscar 2022?

Caio Pimenta analisa os pontos a favor e contra de Lady Gaga, de "Casa Gucci", e Kristen Stewart, de "Spencer", no Oscar 2022 de Melhor Atriz. https://youtu.be/eoeoDQn7TD0 PONTOS A FAVOR DE LADY GAGA  A Lady Gaga tem boas credenciais para acreditar que pode sim levar...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Jane Fonda

Falar da beleza, carisma e do engajamento político de Jane Fonda é chover no molhado. Porém, a estrela de Hollywood também era uma grande atriz e as sete indicações com duas vitórias provam isso.  Por isso, eu faço esta homenagem a ela trazendo da pior à melhor...

Oscar 2022: Previsões Iniciais de Melhor Animação

De “Flee” a “A Família Mitchell e a Rebelião das Máquinas”, Caio Pimenta apresenta a lista de candidatos ao Oscar 2022 de Melhor Animação.  CHANCES MÍNIMAS  Três franquias vão manter a regularidade no Oscar: todas elas seguirão sem indicações.  Se os três primeiros...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Daniel Day-Lewis

Chegou a hora de falar do maior vencedor da categoria de Melhor Ator: Daniel Day-Lewis conseguiu seis indicações e levou a estatueta em três ocasiões.  Nada mais do que justo a um dos maiores de todos os tempos; um intérprete que se entregava de maneira completa aos...

Oscar 2022: Previsões Iniciais de Melhor Filme Internacional e as chances do Brasil

O prazo para cada país enviar o seu candidato ao Oscar de Melhor Filme Internacional chegou ao fim no dia 1 de novembro.   Entre algumas surpresas e outros candidatos já esperados, chegou a hora de apontar quem chega forte para disputa e, claro, analisar a situação...