O cinema do Amazonas viveu uma noite histórica neste sábado (26): “O Barco e o Rio” conquistou cinco prêmios na mostra competitiva de curtas-metragens nacionais do Festival de Gramado 2020. A produção levou os Kikitos de Melhor Filme, Melhor Direção para Bernardo Ale Abinader, Direção de Arte para Francisco Ricardo, Direção de Fotografia com Valentina Ricardo e o prêmio do Júri Popular. 

-> LEIA TAMBÉM: Crítica – “O Barco e o Rio” – angústias e desejos sufocados compõem ótimo filme

O filme rompeu o hiato de 23 anos do Amazonas sem produções em Gramado: a última vez aconteceu em 1997 com “Bocage – Um Hino ao Amor”, de Djalma Limongi Batista, ganhador de um prêmio especial do júri. Durante o agradecimento, o diretor Bernardo Abinader afirmou que espera que os Kikitos impulsionem a produção amazonense a ganhar ainda mais espaço no cenário nacional. 

CONHEÇA O FILME

“O Barco e o Rio” apresenta a história de duas irmãs: Vera (Isabela Catão), uma mulher religiosa, introspectiva e metódica, enquanto Josi (Carolinne Nunes) tem uma vida mais livre. O barco da família vira o motivo de discórdia entre elas com Vera querendo mantê-lo e Josi desejando vendê-lo, enquanto lida com uma gravidez inesperada. No Matapi 2019, o projeto de longa-metragem da história ganhou o pitching para participar do Talent Coprodution Meeting, do Festival de Guadalajara 2020. 

Criada em 2015 por Ana Oliveira, Bernardo Ale Abinader e Valentina Ricardo, a Fita Crepe Filmes e Artes Cênicas já produziu três curtas-metragens: “Os Monstros”, “Amém” e “A Goteira”. Por este último projeto, a direção de fotografia de Valentina recebeu menção honrosa no Festival Olhar do Norte 2019. Além do audiovisual, a Fita Crepe promove o ‘Roda na Praça’, espetáculo artístico circense feito em praças públicas no Amazonas. Contemplado pelo Funarte, o projeto já passou por cidades como Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Manacapuru, além de Manaus. 

LISTA DE VENCEDORES DO FESTIVAL DE GRAMADO 2020 

CURTA-METRAGEM NACIONAL 

Melhor Filme: “O Barco e o Rio”

Melhor Direção: Bernardo Ale Abinader, de “O Barco e o Rio” 

Melhor Ator: Daniel Veiga, por “Você tem Olhos Tristes” 

Melhor Atriz: Luciana Souza, por “Inabitável” 

Melhor Roteiro: “Inabitável” 

Melhor Direção de Fotografia: “O Barco e o Rio” 

Melhor Montagem: “Você tem Olhos Tristes” 

Melhor Direção de Arte: “O Barco e o Rio” 

Melhor Trilha Musical: “Atordoado, Eu Permaneço Atento” 

Melhor Desenho de Som: “Receita de Caranguejo” 

Prêmio do Júri Popular: “O Barco e o Rio” 

Prêmio da Crítica: “Inabitável” 

Menção Honrosa: Preta Ferreira, por “Receita de Caranguejo” 

LONGA-METRAGEM LATINO-AMERICANO 

Melhor Filme: “La Frontera”

Melhor Direção: Mariana Viñoles, por “A Grande Viagem ao País Pequeno” 

Melhor Ator: Anibal Ortiz, por “Matar a un Muerto” 

Melhor Atriz: Daylin Vega Moreno, Sheila Monterola, por “La Frontera 

Melhor Roteiro: “La Frontera 

Melhor Direção de Fotografia: “El Silencio del Cazador 

Prêmio Especial do Júri: “A Grande Viagem ao País Pequeno” 

Prêmio da Crítica: “A Grande Viagem ao País Pequeno” 

Júri Popular: “A Grande Viagem ao País Pequeno” 

LONGA-METRAGEM BRASILEIRO 

Melhor Filme: “King Kong en Asunción”

Melhor Direção: Ruy Guerra, por “Aos Pedaços” 

Melhor Ator: Andrade Júnior, por “King Kong en Asunción” 

Melhor Atriz: Isabél Zuaa, por “Um Animal Amarelo” 

Melhor Ator Coadjuvante: Thomás Aquino, por “Todos os Mortos” 

Melhor Atriz Coadjuvante: Alaíde Costa, por “Todos os Mortos” 

Melhor Roteiro: “Um Animal Amarelo” 

Melhor Direção de Arte: “Um Animal Amarelo” 

Melhor Trilha Musical: “Todos os Mortos” e “King Kong en Asunción” 

Melhor Direção de Fotografia: “Aos Pedaços” 

Melhor Direção de Arte: “Aos Pedaços” 

Prêmio da Crítica: “Um Animal Amarelo” 

Menção Honrosa: Higor Campagnaro, por “Um Animal Amarelo” 

Prêmio Especial do Júri: Elisa Lucinda, por “Por que Você não Chora?” 

‘Sol, Pipoca e Magia’: série resgata Joaquim Marinho e a história cultural de Manaus

A websérie documental “Sol, pipoca e magia” se debruça sobre a história de Joaquim Marinho, um dos grandes nomes da cultura amazonense, tendo trabalhado em várias áreas artísticas como agitador e produtor cultural. A obra apresenta a trajetória de Marinho desde a...

‘Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto’: doc. frio de lenda do boi-bumbá

O documentário “Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto” introduz o espectador à história de um dos principais compositores de toadas, bastante identificado com o boi Garantido (mas também com passagem pelo Caprichoso) que empresta seu nome ao título da obra. O filme é,...

‘A Hespanhola’: choque da alegoria restrita à mesma bolha

Em 2018, lembro-me de discutir com meu então mentor do programa para formação de críticos do Talent Press Rio, o português Luis Oliveira. O tópico: “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee. Na ocasião, ele defendia que o filme não era bom por ser isento de qualquer sutileza...

‘O Colar’: pedaços de grande filme ficam pelo caminho

O Festival Olhar do Norte acompanha com lupa a trajetória de Romulo Souza. Afinal, em todas as edições do evento, há um filme do jovem diretor e roteirista amazonense atualmente radicado em Santa Catarina. Na primeira edição foi “Personas”, documentário para além da...

‘Mestres da Tradição na Terra do Guaraná’: tema fascinante perde-se em pequenos excessos

O curta documentário “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná”, com direção de Ramon Morato, foca nos músicos que mantêm vivos os ritmos de cancioneiro interiorano amazonense. São canções e ritos comunitários, cujas raízes remontam a culturas indígenas e...

‘Reflexos da Cheia’: uma viagem às origens do cinema dentro do Teatro Amazonas

Durante os nove minutos de “Reflexos da Cheia”, o público do Teatro Amazonas vivenciou uma oportunidade de viajar no tempo na terceira noite do Festival do Olhar do Norte. Engana-se quem deduz que este retorno faz referência apenas ao espantoso período de subida...

‘Cercanias / Gatos’: o universo felino e pitoresco de um condomínio de Manaus

“A Terra Negra dos Kawá” deixou a clara impressão de que Sérgio Andrade estava se repetindo em temas já abordados em “A Floresta de Jonathas” e “Antes o Tempo Não Acabava”. Parecia que os caminhos traçados até ali tinham se esgotado, tornando-se urgente e necessário...

‘Stone Heart’: frieza tira potência da mensagem

Vou abrir meu coração, caro leitor: “Stone Heart” me deixa diante de um impasse. De um lado, impossível não ressaltar o que o filme representa um avanço técnico inegável para o ainda incipiente setor da animação no Amazonas, especialmente, do ponto de vista técnico –...

‘A Bela é Poc’: afeto como resposta à violência manauara

Chega a ser sintomático como a violência de Manaus ganha protagonismo nas telas neste grande ano do cinema amazonense. Na brutalidade do marido contra a esposa em “O Buraco”, de Zeudi Souza, passando pela fúria surrealista de “Graves e Agudos em Construção”, de Walter...

‘Kandura’: documentário formal para artista nada comum

 Tive a honra de entrevistar duas vezes Selma Bustamante: a primeira foi na casa dela sobre o lançamento de “Purãga Pesika”, curta-metragem em documentário dirigido por ela em parceria com César Nogueira. A segunda foi para o programa “Decifrar-te”, da TV Ufam, no...