O Tempo Passa, filme dirigido por Diego Bauer, lançado em 2016, será exibido neste domingo, 17 de maio, às 5:30 no Canal Brasil. A produção foi pela realizada pela Artrupe, contemplada no Edital de Audiovisual da Manauscult de 2014. 

O curta-metragem de 15 minutos conta a história de Jhone, um garoto de 15 anos que mora com a mãe no bairro da Compensa. É apresentado o seu cotidiano, as amizades do futebol, os vizinhos, a igreja. A sua rotina muda com a chegada de Ismael, o novo namorado de sua mãe. 

As negociações para a compra dos direitos do filme aconteceram durante o Matapi de 2019: “O mercado trouxe pra cá vários players a fim de realizar negócios com as produtoras manauaras, e a gente estabeleceu contato com o Canal Brasil por meio das rodas de conversa. Apresentamos os nossos trabalhos, e ficamos felizes com o fato do filme agora ter mais uma janela de exibição, e num canal que se caracteriza por colocar em evidência diversas produções brasileiras relevantes”, afirma Diego Bauer. 

As gravações do filme aconteceram em dezembro de 2015. Fazem parte do elenco Adanilo, Ítalo Rui, Leonel Worton, Tiziane Virgílio, Isabela Catão e Israel Castro. Para Bauer, uma das características mais importantes do filme é a forma como apresenta o bairro da Compensa: “Moro no bairro ao lado da Compensa, Nova Esperança, então sempre reconheci ali um lugar repleto de histórias, em que a violência está muito  presente, mas que ao mesmo tempo não apaga o senso de humor das pessoas, e uma maneira muito próxima e até doce de se relacionar com o outro. Sempre me pareceu um lugar especial, de relações complexas, e que funciona como um microcosmo potente do que é a cidade de Manaus e as suas muitas contradições”, explica. 

O Tempo Passa é o segundo curta-metragem dirigido por Bauer, que neste ano lançou outro filme, Obeso Mórbido, em que divide a direção com Ricardo Manjaro.

com informações de assessoria

‘Sol, Pipoca e Magia’: série resgata Joaquim Marinho e a história cultural de Manaus

A websérie documental “Sol, pipoca e magia” se debruça sobre a história de Joaquim Marinho, um dos grandes nomes da cultura amazonense, tendo trabalhado em várias áreas artísticas como agitador e produtor cultural. A obra apresenta a trajetória de Marinho desde a...

‘Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto’: doc. frio de lenda do boi-bumbá

O documentário “Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto” introduz o espectador à história de um dos principais compositores de toadas, bastante identificado com o boi Garantido (mas também com passagem pelo Caprichoso) que empresta seu nome ao título da obra. O filme é,...

‘A Hespanhola’: choque da alegoria restrita à mesma bolha

Em 2018, lembro-me de discutir com meu então mentor do programa para formação de críticos do Talent Press Rio, o português Luis Oliveira. O tópico: “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee. Na ocasião, ele defendia que o filme não era bom por ser isento de qualquer sutileza...

‘O Colar’: pedaços de grande filme ficam pelo caminho

O Festival Olhar do Norte acompanha com lupa a trajetória de Romulo Souza. Afinal, em todas as edições do evento, há um filme do jovem diretor e roteirista amazonense atualmente radicado em Santa Catarina. Na primeira edição foi “Personas”, documentário para além da...

‘Mestres da Tradição na Terra do Guaraná’: tema fascinante perde-se em pequenos excessos

O curta documentário “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná”, com direção de Ramon Morato, foca nos músicos que mantêm vivos os ritmos de cancioneiro interiorano amazonense. São canções e ritos comunitários, cujas raízes remontam a culturas indígenas e...

‘Reflexos da Cheia’: uma viagem às origens do cinema dentro do Teatro Amazonas

Durante os nove minutos de “Reflexos da Cheia”, o público do Teatro Amazonas vivenciou uma oportunidade de viajar no tempo na terceira noite do Festival do Olhar do Norte. Engana-se quem deduz que este retorno faz referência apenas ao espantoso período de subida...

‘Cercanias / Gatos’: o universo felino e pitoresco de um condomínio de Manaus

“A Terra Negra dos Kawá” deixou a clara impressão de que Sérgio Andrade estava se repetindo em temas já abordados em “A Floresta de Jonathas” e “Antes o Tempo Não Acabava”. Parecia que os caminhos traçados até ali tinham se esgotado, tornando-se urgente e necessário...

‘Stone Heart’: frieza tira potência da mensagem

Vou abrir meu coração, caro leitor: “Stone Heart” me deixa diante de um impasse. De um lado, impossível não ressaltar o que o filme representa um avanço técnico inegável para o ainda incipiente setor da animação no Amazonas, especialmente, do ponto de vista técnico –...

‘A Bela é Poc’: afeto como resposta à violência manauara

Chega a ser sintomático como a violência de Manaus ganha protagonismo nas telas neste grande ano do cinema amazonense. Na brutalidade do marido contra a esposa em “O Buraco”, de Zeudi Souza, passando pela fúria surrealista de “Graves e Agudos em Construção”, de Walter...

‘Kandura’: documentário formal para artista nada comum

 Tive a honra de entrevistar duas vezes Selma Bustamante: a primeira foi na casa dela sobre o lançamento de “Purãga Pesika”, curta-metragem em documentário dirigido por ela em parceria com César Nogueira. A segunda foi para o programa “Decifrar-te”, da TV Ufam, no...