Em seu novo longa, Christophe Honoré reimagina “Um Conto de Natal” como uma comédia sexual francesa. “On a Magical Night”, exibido no Festival de Londres, tem em seu centro uma Chiara Mastroianni vulnerável e imperdível em uma performance premiada na mostra Um Certo Olhar do Festival de Cannes, onde estreou.

Diferentemente do protagonista da obra de Charles Dickens, a avareza da professora universitária Maria (Mastroianni) não é financeira, mas sentimental: durante os anos de seu casamento com Vincent (Benjamin Biolay), ela se tornou fechada e reservada, tendo infinitos casos extraconjugais com homens mais novos para estancar uma necessidade afetiva que ela não conseguia mais repassar ao marido.

Após uma dessas escapulidas, Vincent acha mensagens comprometedoras em seu celular e a confronta, o que a faz sair de casa e passar a noite em um hotel do outro lado da rua. Lá, ela é visitada por uma versão de 20 e poucos anos de Richard (Vincent Lacoste), bem como por todos os seus ex-affairs extraconjugais – e é forçada a encarar seu passado de frente.

Uma visitante em particular chega com uma proposta indecente: Irène (Camille Cottin), a amante que Richard largou na juventude para se casar com Maria, aparece pedindo permissão para reconquistar seu antigo amor. Ela, encantada em encontrar a versão de Richard pela qual se apaixonou décadas antes, permite que Irène tente a sorte com a versão mais velha do marido. 

‘O amor é sempre um lugar compartilhado 

O desencadear da trama, também escrita por Honoré, é uma grande discussão marital recheada de elementos fantásticos. Vincent é o homem que, diante de uma decepção conjugal e o retorno de seu antigo amor, se pergunta se tomou a decisão certa. Maria, por sua vez, é um ser muito mais multifacetado.

Ela acredita no amor, mas mente para si mesma sobre a sua natureza (quem nunca?). Maria não mostra um pingo de remorso por conta de suas puladas de cerca e sempre encontra justificativa para seu comportamento. Durante a briga com Richard, a protagonista chega a afirmar que traições são a maneira como casamentos longevos sobrevivem.

Ao romantizar o passado, ela se prende à versão de Richard que ficou para trás e, por conta disso, sempre procura homens novos para ter de novo a paixão de outrora. Seu marido, no entanto, chega ao cerne dessa questão ao concluir, por volta dos 50 minutos de filme: “o amor é sempre um lugar compartilhado, um passado”.

No final das contas, “On a Magical Night” é uma fábula sobre se reconciliar com o passado que confia na audiência o suficiente para fazer perguntas pertinentes sobre o amor. Com um design de produção impecável (cortesia de Stéphane Taillasson) e charme de sobra, o filme rende uma excelente sessão a dois – ainda que com um leve risco de DR. 

‘Earwig’: fábula dark de incapaz de envolver o público

A vida de uma menina peculiar, um homem atormentado e uma garçonete em apuros se entrelaçam em "Earwig", novo filme da francesa Lucile Hadžihalilović (“Inocência”, “Évolution”). O longa, que teve estreia em Toronto e premiada passagem em San Sebastián, foi exibido no...

‘Um Herói’: o melhor filme de Asghar Farhadi desde ‘O Passado’

Um conto-da-carochinha com desdobramentos épicos é a força-motriz de "Um Herói", novo drama de Asghar Farhadi. O longa foi exibido no Festival de Londres deste ano após estreia em Cannes, onde levou o Grand Prix - o segundo prêmio mais prestigiado do evento. Escolhido...

‘Benedetta’: Verhoeven leva sexo a convento em sátira religiosa

Paul Verhoeven (“Elle”, “Tropas Estelares”), está de volta - e continua em excelente forma. Seu mais novo filme, Benedetta, exibido no Festival de Londres deste ano após sua estreia em Cannes, vê o diretor holandês empregando sua verve cáustica à serviço de uma...

‘The Tragedy of Macbeth’: ambiciosa adaptação que nada inova

Longe de pela primeira vez e certamente não pela última, o cinema recebe mais uma adaptação de "Macbeth"- agora concebida por Joel Coen, metade da oscarizada dupla de irmãos cineastas. O lançamento largamente digital do longa exibido no Festival de Londres deste ano -...

‘Sundown’: apatia generalizada em filme monótono

“Sundown”, novo filme do mexicano Michel Franco (“Depois de Lúcia”), tenta responder a velha pergunta: como seria começar de novo? A produção com Tim Roth (“Luce”) e Charlotte Gainsbourg (“Ninfomaníaca”), que teve estreia em Veneza e foi exibida no Festival de Londres...

‘A Crônica Francesa’: Wes Anderson joga para torcida ao celebrar o jornalismo

Descrito como uma "carta de amor aos jornalistas", "A Crônica Francesa" é uma divertida homenagem do diretor Wes Anderson à mídia impressa e aos articulistas que o inspiraram. O projeto, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é o filme...

‘Great Freedom’: a luta para ser quem se é independente das consequências

Amor, tesão e tragédia dão a tônica de "Great Freedom", o belo e potente novo filme de Sebastian Meise. A co-produção Áustria-Alemanha, que estreou (e foi premiada) na seção Um Certo Olhar no Festival de Cannes, foi exibida no Festival de Londres deste ano. O drama de...

‘The Souvenir Parte II’: Joanna Hogg muda tom e cria sequência metalinguística

A diretora Joanna Hogg continua seu exercício em autoficção em "The Souvenir Parte II", sequência do premiado sucesso de 2019. O filme, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, começa exatamente no mesmo ponto em que seu predecessor...

‘Titane’: Julia Ducournau arrisca tudo com horror no limite

Dependendo da forma como você o vê, "Titane" é um horror porrada no estômago, uma hilária comédia de humor negro ou um drama sobre pessoas muito, mas muito quebradas. O filme ganhador da cobiçada Palma de Ouro - prêmio máximo do Festival de Cannes - deste ano e...

‘Spencer’: Kristen Stewart luta em vão contra filme maçante

Em "Spencer", Kristen Stewart se junta ao clube de atrizes - que inclui Naomi Watts (“Diana”) e Emma Corrin (“The Crown”) - que se lançaram ao desafio de retratar a Princesa Diana. A atriz traz uma energia caótica à personagem e a coloca no caminho de uma quase certa...