SINOPSE

Em pleno coração da floresta amazônica, a tribo dos Saterê Mawé mantém rituais de passagem da puberdade dos homens. São acontecimentos marcados de extremo valor e representatividade.

PÔSTER

O DIRETOR

Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Amazonas, Jimmy Christian traz uma extensa carreira como repórter fotográfico com passagens pelo jornal A Crítica e assessoria de imprensa. Ele se destacou dentro da fotografia no Amazonas como um dos primeiros a investir no potencial das câmeras de celular e IPhones, trazendo isso para o cinema em produções como “Bodó de Farinha”, selecionado na Mostra do Cinema Amazonense 2015, “Ruas de Rio”, participante do Olhar do Norte 2018. Em 2019, lançou o longa-metragem “Opala Conexão Amazônia”, road e rivermovie pelas estradas de terra e rio da Amazônia e Centro-Oeste.

DESTAQUES

TIMAÇO NA EQUIPE

Para fazer “Tucandeira”, Jimmy Christian contou com uma equipe de grandes profissionais da fotografia e do audiovisual amazonense. Dos mais consagrados repórteres cinematográficos do Estado, Orlando Júnior, da Rede Amazônica, é o diretor de fotografia do curta-metragem. Na condução das câmeras, ‘apenas’ os premiados fotógrafos Bruno Kelly (passagens pelo jornal A Crítica e Agência Reuters), e Michael Dantas (trabalhos na Agência France Press e Secretaria de Estado de Cultura). O experiente produtor local Fernando Crispim Sanches completa o time.

REGISTROS AMAZÔNICOS

Jimmy Christian traz uma filmografia focada no experimentalismo e com temáticas de fortes traços amazônicos. Com 20 minutos de duração, o documentário “Bodó com Farinha”, por exemplo, é feito totalmente no celular e traz o processo de pesca e consumo do tradicional peixe. Já “Ruas de Rio”, “Beiradão Urbano” e “Ponta Negra” – todos disponíveis no canal do YouTube do diretor (clique aqui) – abordam a orla de Manaus. Também já se aventurou no terror com “A Maldição da Santa Casa de Misericórdia”. Em “Tucandeira”, apresenta os indígenas e seus rituais tradicionais.

FICHA TÉCNICA

Direção, Roteiro e Edição: Jimmy Christian 

Produção: Fernando Crispim Sanches, Bosco das Letras, Jimmy Christian 

Direção de fotografia: Orlando K. Júnior

Câmeras: Bruno Kelly, Michael Dantas

Stil Life: Paulo Neves

Som: Fernando Crispim Sanches 

Direção de Arte e Maquiagem: Villy Gouveia 

Sonoplastia: Cleudilon Passarinho

As imagens de “Tucandeira” foram gravadas como parte das filmagens de um projeto de ficção chamado “Mawé”; o curta se insere na minha carreira como um filme etnográfico dentro de uma linha antropológica.

Jimmy Christian

Diretor de "Tucandeira"

‘A Hespanhola’: choque da alegoria restrita à mesma bolha

Em 2018, lembro-me de discutir com meu então mentor do programa para formação de críticos do Talent Press Rio, o português Luis Oliveira. O tópico: “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee. Na ocasião, ele defendia que o filme não era bom por ser isento de qualquer sutileza...

‘Rabiola’: um verdadeiro suco de Brasil

Na história do cinema, não faltam casos de filmes que se utilizam de pontos de partidas comuns ou nada extraordinários para gradualmente representarem o panorama de uma sociedade e suas graves desigualdades. São casos de obras-primas como “Ladrões de Bicicleta”, ponto...

‘O Colar’: pedaços de grande filme ficam pelo caminho

O Festival Olhar do Norte acompanha com lupa a trajetória de Romulo Souza. Afinal, em todas as edições do evento, há um filme do jovem diretor e roteirista amazonense atualmente radicado em Santa Catarina. Na primeira edição foi “Personas”, documentário para além da...

Curta amapaense ‘Utopia’ é o grande vencedor do 4º Festival Olhar do Norte

A quarta edição do Festival Olhar do Norte terminou com a vitória do único curta-metragem vindo do Amapá: "Utopia" venceu Melhor Filme na Mostra Norte. O júri era formado pelos diretores Aldemar Matias (“La Arrancada”), Dheik Praia (“Pranto Lunar”), Elaíze Farias...

‘Meu Coração é um Pouco Mais Vazio na Cheia’: remix nas águas

Alguns elementos das raízes da cultura rave encontram um inusitado espaço de debate do curta “Meu coração é um pouco mais vazio na cheia”, da tocantinense Sabrina Trentim. O mais gritante deles é, óbvio, a presença da música eletrônica, mas o apreço por cenários...

‘Utopia’: o florescer da memória a partir da ausência

Com “Utopia”, a diretora amapaense Rayane Penha mostra ao público como a noção de ritmo é importante à narrativa documental no audiovisual. Dentre offs relembrando um sonho fantástico da diretora com o pai, depoimentos de conhecidos, a releitura de cartas paternas e...

‘Mestres da Tradição na Terra do Guaraná’: tema fascinante perde-se em pequenos excessos

O curta documentário “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná”, com direção de Ramon Morato, foca nos músicos que mantêm vivos os ritmos de cancioneiro interiorano amazonense. São canções e ritos comunitários, cujas raízes remontam a culturas indígenas e...

‘Reflexos da Cheia’: uma viagem às origens do cinema dentro do Teatro Amazonas

Durante os nove minutos de “Reflexos da Cheia”, o público do Teatro Amazonas vivenciou uma oportunidade de viajar no tempo na terceira noite do Festival do Olhar do Norte. Engana-se quem deduz que este retorno faz referência apenas ao espantoso período de subida...

‘Nazaré: Do Verde ao Barro’: poética ribeirinha através da aquarela

Não é raro no curta-metragem vermos a experimentação técnica ou narrativa do realizador e equipe se sobrepor à necessidade real para o filme em si daquele recurso escolhido. Isso está longe de ser um crime, afinal, o curta traz esta liberdade maior, sendo, inclusive,...

‘Meus Santos Saúdam Teus Santos’: um abraço em forma de filme

Ao pensarmos na figura do Pajé, o senso comum aponta diretamente à representação massificada nas narrativas do festival folclórico de Parintins; se muito, imaginamos a figura de um indígena em idade avançada, envolto em trajes tidos como tradicionais. E para expandir...