Pode-se dizer sem pestanejar que Martin Scorsese seja o maior diretor vivo do cinema dos EUA. Na história, está ao lado de D.W Griffith e John Ford como os maiores de todos os tempos. 

As obras de Scorsese são fundamentais para entender a criação, formação e as identidades da maior potência mundial do século XX.

No Oscar, foram nove indicações, mas, somente uma vitória: aconteceu em 2007 com “Os Infiltrados”. 

Chegou a hora de ranquear estas indicações e, claro, citar a maior esnobada da Academia. 

9. OS INFILTRADOS 

Cruel dizer que a indicação mais fraca do Scorsese ao Oscar veio justamente pela produção que ele ganhou a estatueta, mas, foi justamente o que aconteceu. 

Em “Os Infiltrados”, o diretor conta com um superelenco na melhor forma – especialmente, Mark Wahlberg e Leonardo DiCaprio – em um policial de gato e rato com reviravoltas para todos os lados e muito rock n´roll.

Ainda assim, perto daquilo que já produziu ao longa da carreira, trata-se um Scorsese de patamar inferior. 

8. GANGUES DE NOVA YORK 

Em 2003, o Scorsese chegou cotado para vencer o prêmio por “Gangues de Nova York”, porém, o drama épico sucumbiu à força de “Chicago” e “O Pianista”. 

Apesar de faltar ritmo no meio da trama e do foco difuso do roteiro, o Scorsese traz um espetáculo visual deslumbrante na recriação da Nova York do século XIX.

Além disso, diferente de “Os Infiltrados”, “Gangues” oferece duas sequências primorosas – as batalhas do início e do final do filme. 

O Oscar de Direção ficou nas mãos do Roman Polanski, de “O Pianista”, uma das maiores obras-primas do polêmico polonês. 

7. O AVIADOR 

Muito do que elogiei da direção do Scorsese em “Gangues de Nova York” dá para replicar aqui. 

“O Aviador” é o longa mais exuberante da extensa filmografia do diretor; um espetáculo da direção de arte aos figurinos até a condução de grandes momentos.

Por ser uma obra mais bem definida que “Gangues”, fica nesta sétima posição. 

No Oscar 2005, o Scorsese perdeu para o Clint Eastwood, de “Menina de Ouro”, um resultado novamente indiscutível. 

6. A INVENÇÃO DE HUGO CABRET 

O 3D virou um recurso caça-níquel na década passada nos cinemas mundiais: quantos filmes não fizeram conversões de quinta categoria para faturarem um pouco mais nas bilheterias? 

Raras foram as produções que conseguiram usar este recurso e a melhor delas foi “A Invenção de Hugo Cabret”. 

Nada é gratuito no 3D da aventura ao explorar as potencialidades deste recurso na profundidade de campo e a serviço da história.

Para completar, realiza uma homenagem que só ele poderia fazer a outro mestre do cinema, o mago George Méliès. 

A Academia, infelizmente, ficou com o Michel Hazanavicius e seu bonitinho trabalho em “O Artista”, mas, longe do brilhantismo do Scorsese. 

5. A ÚLTIMA TENTAÇÃO DE CRISTO

Se hoje em dia mexer com religião já dá uma confusão, imagina isso nos anos 1980? Para piorar, abordando a delicada morte e ressurreição de Jesus Cristo? 

Católico de origem italiana, o Scorsese mexeu neste vespeiro e foi indicado ao Oscar em 1989. 

O diretor no excelente “A Última Tentação de Cristo” cria um filme intimista e reflexivo em uma experiência nova sobre os dilemas e dramas da figura bíblica.

A reta final traz um dos momentos mais corajosos da carreira do diretor. 

A indicação no Oscar de 1989 foi a única de “A Última Tentação de Cristo” naquela edição. Perdeu para o Barry Levinson, de “Rain Man”, sintetizando bem o que foi os anos 80 na Academia. 

4. O IRLANDÊS 

A mais recente indicação do diretor veio na edição de 2020. 

O Irlandês” é um Scorsese reflexivo sobre a violência da máfia e as marcas dela em seus participantes.

Para tanto, o diretor vai na contramão da rapidez da era do Twitter para abordar uma história transcorrendo sobre pontos fundamentais da história recente dos EUA ao longo de cinco décadas.

Obra-prima. 

Só não dá para ficar chateado por ter sido mais uma derrota porque o vitorioso foi o Bong Joon-Ho, de “Parasita”. 

3. O LOBO DE WALL STREET 

Crítica: O Lobo de Wall Street

Saindo de uma produção mais cadenciada para outra de ritmo completamente diferente. “O Lobo de Wall Street” abre o pódio. 

Para tratar dos desvarios dos executivos milionários dos EUA, o Martin Scorsese engata uma quinta marcha com uma montagem dinâmica em sequências insanas repleto de cinismo e ironia.

Com um Leonardo DiCaprio em um de seus grandes trabalhos, o diretor cria uma comédia inesquecível.    

Em 2014, ele perdeu o Oscar para o Alfonso Cuáron, de “Gravidade”.

Por um lado, é inegável a excelência técnica do mexicano com seus planos-sequências de tirar o fôlego, porém, a ousadia e força jovial do Scorsese em “Wall Street” fazia por merecer a estatueta. 

2. TOURO INDOMÁVEL 

Em 1981, o Martin Scorsese foi indicado a Melhor Direção por “Touro Indomável”. 

A fúria da Nova Hollywood encontra o cinema clássico norte-americano nesta impactante história sobre o auge e a decadência do campeão do boxe, Jake La Motta.

Com uma direção de fotografia soberba do Michael Chapman e um elenco no seu melhor, o Scorsese realiza uma cinebiografia definitiva repleta de personalidade, potência e melancolia. 

Aqui, a Academia bobeou e foi conservadora demais ao premiar o Robert Redford, por “Gente como a Gente”, em vez do Scorsese.

Um erro histórico. 

1. OS BONS COMPANHEIROS 

O melhor trabalho do Scorsese indicado ao Oscar veio na cerimônia de 1991. 

“Os Bons Companheiros” é o filme máximo do diretor em seus dramas, suspenses sobre o universo dos gângsters.

A condução elegante da história aliada a uma montagem brilhante e um olhar ácido sobre o tema fazem do longa uma obra que influenciou por décadas diversos realizadores de filmes do gênero. 

Mais uma derrota inexplicável para outro astro de Hollywood: no caso para Kevin Costner, de “Dança com Lobos”.  

A MAIOR ESNOBADA 

Apesar das nove indicações, o Scorsese também sofreu esnobadas feias da Academia. Foi assim com “Caminhos Perigosos”, “A Época da Inocência” e “Silêncio”.

Mas, claro, nenhuma superou o que houve em 1977. 

O mestre ficou de fora de Melhor Direção pelo clássico “Taxi Driver”.

Sujo, violento e desesperançoso, o longa é um retrato do estado de espírito perturbado de uma nação em crise após a saída fracassada da Guerra do Vietnã simbolizada por um taxista mergulhado em uma espiral de violência e paranoia. 

Em 1977, tivemos a primeira mulher indicada a Direção, no caso a Lina Wertmuller por “Pasqualino Sete Belezas”.

Também teve o Ingmar Bergman, de “Face a Face”, além do Alan J. Pakula, de “Todos os Homens do Presidente”, Sidney Lumet, por “Rede de Intrigas”, e o vencedor John G Avildsen, de “Rocky”.

Nenhum deles, entretanto, com um trabalho mais marcante do que o Scorsese. 

Oscar: TOP 10 Ganhadores Melhor Filme Internacional nos Anos 2010

De "O Segredo dos Seus Olhos", da Argentina, a "Roma", do México, Caio Pimenta elege o TOP 10 dos Ganhadores de Melhor Filme Internacional nos Anos 2010. PS: até 2019, a categoria se chamava Melhor Filme de Língua Não-Inglesa, porém, para fins de maior entendimento,...

Oscar: Os Quase Indicados a Melhor Filme (2000 a 2022)

De "Quero ser John Malkovich" a "Apresentando os Ricardos", Caio Pimenta traz as obras que bateram na trave para serem indicadas a Melhor Filme no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=vPU4Vhgr55Y 2000 a 2009 Com apoio de Harvey Weinstein, “Regras da Vida”...

Oscar: 10 Atuações Masculinas que não deram sorte na Premiação (2000-2020)

De Gary Oldman a Michael Keaton, Caio Pimenta traz um TOP 10 com atuações masculinas que não sorte no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=GdrLBWPhCys 10. GARY OLDMAN, POR "O ESPIÃO QUE SABIA DEMAIS" O décimo lugar deste TOP 10 ocorreu há 10 anos.   O Jean Dujardin...

Oscar: 10 Atuações Femininas que não deram sorte na Premiação (2000-2020)

De Nicole Kidman, por "Moulin Rouge", a Ellen Burstyn, de "Réquiem Para um Sonho", Caio Pimenta traz um TOP 10 com atrizes que não sorte no Oscar, seja por concorrer contra uma mega favorita ou estar no meio de uma disputa entre duas candidatas fortes....

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Saoirse Ronan e Penélope Cruz

Das nomeações por "Desejo e Reparação" e "Volver" a "Adoráveis Mulheres" e "Mães Paralelas", Caio Pimenta analisa quais as melhores e piores indicações de Saoirse Ronan e Penélope Cruz no Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=0awFQcqEwSw 4. "BROOKLYN" Começando com a...

Oscar 2023 – Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 9

De Steven Spielberg a Alejandro González Iñarritu, Caio Pimenta aponta os últimos 10 candidatos ao Oscar 2023. "THE FABELMANS" E "BARDO" Steven Spielberg fez uma campanha digna com “Amor, Sublime Amor” no Oscar 2022 ainda que se esperasse mais do musical na briga com...

Oscar: O Melhor e o Pior das Indicações de Christian Bale e Joaquin Phoenix

Das nomeações por "O Vencedor" e "Gladiador" a "Vice" e "Coringa", Caio Pimenta analisa quais as melhores e piores indicações de Christian Bale e Joaquin Phoenix no Oscar. 4. A GRANDE APOSTA Começo com o Christian Bale e a indicação mais fraca dele ao Oscar, para mim,...

Brasil no Oscar 2023: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 8

No especial dos candidatos do Oscar 2023, Caio Pimenta traz uma lista com sete filmes brasileiros que podem representar o país. https://www.youtube.com/watch?v=AMOUGgQqXiM "MARTE UM", "O LIVRO DOS PRAZERES" E "A Primeira Morte de Joana” Vamos então aos candidatos...

Oscar: TOP 10 Maiores Momentos da Década 1950

Dos recordes de "Gigi" e "A Malvada" às indicações póstumas de James, Caio Pimenta traz os 10 maiores momentos do Oscar nos anos 1950. 10. IMPROVISO DE JERRY LEWIS EM 1959 https://www.youtube.com/watch?v=2riKdGOdU3E&t=157s A lista do Oscar nos anos 1950 continua...

Oscar 2023: Quem Pode Surgir na Disputa? – Parte 7

No especial dos candidatos do Oscar 2023, Caio Pimenta traz uma lista com oito filmes brasileiros que podem representar o país. MEDUSA https://www.youtube.com/watch?v=3yW1VUtYXN0 A lista começa com “Medusa”, novo filme de Anita Rocha da Silveira.   Premiado no...