A Associação de Imprensa Estrangeira em Hollywood resolveu não surpreender muito e deu os principais prêmios de televisão para as séries mais elogiadas do ano. “Fleabag” dominou entre as comédias, levando o prêmio principal e também Melhor Atriz para Phoebe Waller-Bridge.  

Já a HBO voltou a vencer em Melhor Série Dramática após nove edições com “Succession” que ainda levou Melhor Ator com Brian Cox. A emissora criadora de “Os Sopranos” ganhou como Melhor Minissérie por “Chernobyl”; a produção sobre a tragédia nuclear na extinta URSS rendeu a Stellan Skarsgård a estatueta de Melhor Ator Coadjuvante em série limitada. 

A Netflix teve que se conter com Melhor Atriz em Série de Drama para Olivia Colman, por “The Crown”, enquanto Ramy Youssef surpreendeu os favoritos e levou Melhor Ator em Série de Comédia pela desconhecida “Ramy”. Já Russell Crowe faturou Melhor Ator em Minissérie por “The Loudest Voice”, enquanto Michelle Williams, de “Fosse/Verdon”, ficou com Melhor Atriz em Minissérie. 

CONFIRA A LISTA COMPLETA DE VENCEDORES (EM NEGRITO): 

Melhor série – Drama 

  • “Big Little Lies” 
  • “The Crown” 
  • “Killing Eve” 
  • “The Morning Show” 
  • Succession” 

Melhor série – Musical ou Comédia 

  • “Barry” 
  • Fleabag 
  • “The Kominsky Method” 
  • “The Marvelous Mrs. Maisel” 
  • “The Politician” 

Melhor série limitada ou filme para TV 

  • “Catch-22″ 
  • “Chernobyl” 
  • “Fosse/Verdon” 
  • “The Loudest Voice” 
  • “Inacreditável” 

Melhor ator em série limitada ou filme para TV 

  • Christopher Abbott (“Catch-22”) 
  • Sacha Baron Cohen (“The Spy”) 
  • Russell Crowe (“The Loudest Voice”) 
  • Jared Harris (“Chernobyl”) 
  • Sam Rockwell (“Fosse/Verdon”) 

Melhor atriz em série limitada ou filme para TV 

  • Kaitlyn Dever (“Inacreditável”) 
  • Joey King (“The Act”) 
  • Helen Mirren (“Catarina, a Grande”) 
  • Merritt Wever (“Unbelievable”) 
  • Michelle Williams (“Fosse/Verdon”) 

Melhor ator coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV 

  • Alan Arkin (“O Método Kominsky”) 
  • Kieran Culkin (“Succession”) 
  • Andrew Scott (“Fleabag”) 
  • Stellan Skarsgård (“Chernobyl”) 
  • Henry Winkler (“Barry”) 

Melhor atriz coadjuvante em série, série limitada ou filme para TV 

  • Patricia Arquette (“The Act”) 
  • Helena Bonham Carter (“The Crown”) 
  • Toni Collette (“Inacreditável”) 
  • Meryl Streep (“Big Little Lies”) 
  • Emily Watson (“Chernobyl”) 

Melhor ator em série de TV – Musical ou Comédia 

  • Michael Douglas (“O Método Kominsky”) 
  • Bill Hader (“Barry”) 
  • Ben Platt (“The Politician”) 
  • Paul Rudd (“Cara x Cara”) 
  • Ramy Youssef (“Ramy”) 

Melhor atriz em série de TV – Musical ou Comédia 

  • Christina Applegate (“Dead to Me”) 
  • Rachel Brosnahan (“The Marvelous Mrs. Maisel”) 
  • Kirsten Dunst (“On Becoming a God in Central Florida”) 
  • Natasha Lyonne (“Boneca Russa”) 
  • Phoebe Waller-Bridge (“Fleabag”) 

Melhor atriz em série de TV – Drama 

  • Jennifer Aniston (“The Morning Show”) 
  • Olivia Colman (“The Crown”) 
  • Jodie Comer (“Killing Eve”) 
  • Nicole Kidman (“Big Little Lies”) 
  • Reese Witherspoon (“Big Little Lies”) 

Melhor ator em série de TV – Drama 

  • Brian Cox (“Succession”) 
  • Kit Harington (“Game of Thrones”) 
  • Rami Malek (“Mr. Robot”) 
  • Tobias Menzies (“The Crown”) 
  • Billy Porter (“Pose”) 

‘Maid’: o fim do American Way of Life

“Maid” é uma produção focada em dilemas contemporâneos e esse é o principal de seus acertos. Disponível na Netflix e protagonizada por Margaret Qualley, a minissérie acompanha Alex, uma jovem que foge de um relacionamento abusivo e passa a trabalhar como empregada...

‘Missa da Meia-Noite’: Mike Flanagan acerta sem correr riscos

Quando pensamos em produções de terror é muito fácil associar suas tramas a existência do sobrenatural, do desconhecido, mesmo que existam muitos títulos onde o vilão se trata na realidade de uma pessoa como qualquer outra. Contemplando essas duas linhas narrativas,...

‘Round 6’: novo e divertido sucesso made in Coreia do Sul

Depois de ‘Parasita’ ganhar o público e o Oscar de melhor filme em 2020, o mundo passou a olhar com mais atenção para as produções sul-coreanas no cinema. Atenta às tendências do mercado audiovisual, a Netflix anunciou um investimento de US$ 500 milhões na produção de...

‘Cenas de um Casamento’: releitura atualiza discussões e preserva caráter episódico do original

"Vou colecionar mais um sonetoOutro retrato em branco e pretoA maltratar meu coração"  É difícil pensar em escrever qualquer análise-ou-crítica-ou-chame-do-que-quiser de "Cenas de um Casamento" (HBO, 2021) e não ter os pensamentos invadidos pela obra original - e...

‘Modern Love’ 2ª temporada: olhar amadurecido sobre as formas de amar

Recomenda-se que esse texto seja lido com a trilha sonora de John Carney. Quando você relembra seus relacionamentos marcantes, que memórias lhe vem à mente? Que músicas e sensações atingem seus sentidos a ponto de soltar um sorriso imperceptível ou o coração apertar...

‘As Filhas de Eva’: a sedutora serpente chamada liberdade

Quem foi Eva? Segundo os escritos da Bíblia, foi a primeira mulher do Planeta Terra, nascida da costela de Adão, o primeiro homem. Enganada e seduzida pela serpente, come o fruto proibido e, como castigo para ambos, Deus enviou o caos à Terra. Esta é uma breve síntese...

‘Loki’: boa, porém desperdiçada, introdução ao multiverso Marvel

Após a excêntrica e divertida "Wandavision", a política e reflexiva "Falcão e o Soldado Invernal", a nova série da Marvel focada no Deus da Trapaça é uma ótima introdução para o que está por vir no Universo Cinematográfico Marvel (MCU). Entretanto, por conta do...

‘Elize Matsunaga – Era Uma Vez Um Crime’: misoginia brasileira escancarada

Duas coisas se destacam na minissérie “Elize Matsunaga: Era Uma Vez Um Crime”: o domínio patriarcal no Brasil e o estudo de personagem feito pela diretora Eliza Capai. A documentarista é responsável por produções que buscam investigar personagens femininas sem...

‘Dom’: história de amor paterno no meio do caos das drogas

Dom (2021), nova aposta da Amazon Prime, é uma série que desperta as mais diversas emoções. Livremente inspirado no romance homônimo escrito pelo titã Tony Belotto e também em O Beijo da Bruxa (2010), de Luiz Victor Lomba (pai do Pedro), a produção narra a história...

‘Solos’: minissérie joga fora todos seus promissores potenciais

A minissérie do Prime Video "Solos" busca se distanciar de comparações ao streaming concorrente. Para tanto, traz elementos de ficção científica e a relação da tecnologia com (e eventualmente versus) a humanidade em um futuro distópico. Nesse sentido, há uma...