Uma tocante história sobre crescer e achar aceitação longe do núcleo familiar, “Kajillionaire“, novo filme de Miranda July (“O Futuro”, “Eu, Você e Todos Nós”) é um projeto tematicamente ousado que confirma sua diretora como uma voz única no cinema independente estadunidense. Depois de estrear no Festival de Sundance e ser exibido no Festival de Londres, o projeto é mais uma mostra do poderio de Evan Rachel Wood (“Westworld”) – magnética no papel principal.

Ela interpreta Old Dolio Dyne, uma jovem que vive na Califórnia ajudando e acompanhando os pais (Richard Jenkins e Debra Winger), charlatões de marca maior, em diversos trambiques e esquemas. Durante uma operação, a família se envolve com Melanie (Gina Rodriguez), que desperta sentimentos inesperados em Old Dolio. Frustrada com sua vida de golpista e com a falta de afeto familiar, ela explode e foge com Melanie em uma jornada ao centro de si mesmo.

O roteiro, assinado pela diretora, é cheio de personagens cheios de maneirismos que são um dos charmes de sua obra. A protagonista, por exemplo, é tão retraída em suas interações sociais e desacostumada a carinho que não consegue ser tocada. Na cena em que ela tenta receber uma massagem, logo no início de “Kajillionaire”, ela reclama por estar sendo muito pressionada mesmo quando a massagista nem toca nela e chora. O momento é pura July: expondo uma fragilidade de maneira inesperada e com muita empatia. 

SENSIBILIDADE E AMBIÇÃO NA NARRATIVA PROPORCIONAIS

Centrada em mulheres, a trama passa no teste Bechdel com louvor. A interação entre Old Dolio e Melanie, que acaba guiando o filme, passa por diversos estágios e permite à produção tocar em diversos temas – como performatividade de gênero e vínculos familiares abusivos – de maneira leve. Observe a cena em que as duas fingem ser, respectivamente, um técnico de geladeira e uma cliente, parafraseando e subvertendo falas de um pornô barato ao mesmo tempo em que deixam a atração entre elas nas entrelinhas.

Esse eterno faz-de-conta, no entanto, é claramente nocivo a Old Dolio e, no fundo, ela quer que a aproximação com Melanie seja algo real. O vácuo afetivo deixado por seus pais golpistas é de partir o coração e Wood abraça essas emoções conflitantes com vigor, em uma das melhores atuações em uma carreira cheia delas. Ela e Rodriguez sustentam um longa que se sente livre para mudar de foco várias vezes, mas que nunca perde a direção.

Há algo de hermético na estética de July que faz seu cinema não parecer tão acessível a princípio. Esse julgamento, no entanto, é um tanto quanto injusto se forem levadas em conta a alma e a sensibilidade da obra da cineasta, bem como a sua ambição. Disfarçado de um romance LGBTQ, “Kajillionaire” é um filme que faz perguntas difíceis sobre necessidades emocionais e a natureza das relações humanas. Mesmo demandando mais do espectador do que suas obras anteriores, ele mostra uma clara evolução de sua realizadora. 

‘Earwig’: fábula dark de incapaz de envolver o público

A vida de uma menina peculiar, um homem atormentado e uma garçonete em apuros se entrelaçam em "Earwig", novo filme da francesa Lucile Hadžihalilović (“Inocência”, “Évolution”). O longa, que teve estreia em Toronto e premiada passagem em San Sebastián, foi exibido no...

‘Um Herói’: o melhor filme de Asghar Farhadi desde ‘O Passado’

Um conto-da-carochinha com desdobramentos épicos é a força-motriz de "Um Herói", novo drama de Asghar Farhadi. O longa foi exibido no Festival de Londres deste ano após estreia em Cannes, onde levou o Grand Prix - o segundo prêmio mais prestigiado do evento. Escolhido...

‘Benedetta’: Verhoeven leva sexo a convento em sátira religiosa

Paul Verhoeven (“Elle”, “Tropas Estelares”), está de volta - e continua em excelente forma. Seu mais novo filme, Benedetta, exibido no Festival de Londres deste ano após sua estreia em Cannes, vê o diretor holandês empregando sua verve cáustica à serviço de uma...

‘The Tragedy of Macbeth’: ambiciosa adaptação que nada inova

Longe de pela primeira vez e certamente não pela última, o cinema recebe mais uma adaptação de "Macbeth"- agora concebida por Joel Coen, metade da oscarizada dupla de irmãos cineastas. O lançamento largamente digital do longa exibido no Festival de Londres deste ano -...

‘Sundown’: apatia generalizada em filme monótono

“Sundown”, novo filme do mexicano Michel Franco (“Depois de Lúcia”), tenta responder a velha pergunta: como seria começar de novo? A produção com Tim Roth (“Luce”) e Charlotte Gainsbourg (“Ninfomaníaca”), que teve estreia em Veneza e foi exibida no Festival de Londres...

‘A Crônica Francesa’: Wes Anderson joga para torcida ao celebrar o jornalismo

Descrito como uma "carta de amor aos jornalistas", "A Crônica Francesa" é uma divertida homenagem do diretor Wes Anderson à mídia impressa e aos articulistas que o inspiraram. O projeto, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é o filme...

‘Great Freedom’: a luta para ser quem se é independente das consequências

Amor, tesão e tragédia dão a tônica de "Great Freedom", o belo e potente novo filme de Sebastian Meise. A co-produção Áustria-Alemanha, que estreou (e foi premiada) na seção Um Certo Olhar no Festival de Cannes, foi exibida no Festival de Londres deste ano. O drama de...

‘The Souvenir Parte II’: Joanna Hogg muda tom e cria sequência metalinguística

A diretora Joanna Hogg continua seu exercício em autoficção em "The Souvenir Parte II", sequência do premiado sucesso de 2019. O filme, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, começa exatamente no mesmo ponto em que seu predecessor...

‘Titane’: Julia Ducournau arrisca tudo com horror no limite

Dependendo da forma como você o vê, "Titane" é um horror porrada no estômago, uma hilária comédia de humor negro ou um drama sobre pessoas muito, mas muito quebradas. O filme ganhador da cobiçada Palma de Ouro - prêmio máximo do Festival de Cannes - deste ano e...

‘Spencer’: Kristen Stewart luta em vão contra filme maçante

Em "Spencer", Kristen Stewart se junta ao clube de atrizes - que inclui Naomi Watts (“Diana”) e Emma Corrin (“The Crown”) - que se lançaram ao desafio de retratar a Princesa Diana. A atriz traz uma energia caótica à personagem e a coloca no caminho de uma quase certa...