Após um ano com suas atividades paralisadas, o Cine Vídeo Tarumã retorna para a programação cultural da Ufam nesse novo semestre da universidade. A pandemia trouxe dificuldades para muitas pessoas e para a educação trouxe novos desafios e novas formas de ensino. Da mesma forma, o cinema também teve que se readaptar, cortando um de seus principais elementos que eram as salas de cinema e a sensação de ver um filme em conjunto. Por essas razões, a equipe do Cine Vídeo Tarumã pensou que seria também a hora deste projeto de extensão se readaptar e retornar à atividade.

Ao invés das tradicionais exibições de filmes, a equipe do Cine Vídeo Tarumã preparou uma programação voltada para encontros em lives por meio das redes sociais do projeto. Através de entrevistas, o projeto terá a presença de cineastas premiados, professores e críticos de cinema do Amazonas. O primeiro encontro acontece nesta segunda-feira (29/03) às 19 horas e será uma apresentação da dinâmica das lives e da equipe do Cine Vídeo Tarumã para a comunidade. Após isso, as lives com os convidados serão realizadas todas às quartas-feiras, às 19 horas, através da conta de instagram @cinevideotaruma. 

Na quarta-feira, 31/03, será realizada a primeira live com convidados. O primeiro entrevistado será o diretor e roteirista Bruno Villela, responsável pelo curta de animação “O Mezanino”. A conversa com Bruno será sobre a sua carreira, a produção de seu curta e sua visão sobre a realização de animações no Amazonas. 

Conduzidas pelos colaboradores do projeto, as entrevistas já contam com a presença confirmada de Bernardo Abinader e Isabela Catão (do premiado curta “O Barco e o Rio”), Caio Pimenta (editor-chefe do Cine Set), Zeudi Souza (diretor de “O Buraco”) e outros nomes envolvidos com a produção, ensino e divulgação de cinema no Amazonas.

Coordenado pelo professor de arquivologia Luiz Santana, o projeto já conta com mais de 30 anos de existência. Realizado normalmente no miniauditório Narciso Lobo, localizado na Faculdade de Informação e Comunicação da UFAM, o projeto teve que deixar de lado as sessões presenciais e migrar para o ambiente virtual. O projeto segue assim a modalidade pela qual a UFAM irá retornar suas atividades devido à pandemia da COVID-19. Devido a isso, Luiz Santana diz: “esperamos dessa forma contribuir com o fomento à cultura, educação, entretenimento e diversão para o público acadêmico, bem como para a comunidade em geral, buscando amenizar esse período difícil que estamos enfrentando!”.

com informações de assessoria

‘Sol, Pipoca e Magia’: série resgata Joaquim Marinho e a história cultural de Manaus

A websérie documental “Sol, pipoca e magia” se debruça sobre a história de Joaquim Marinho, um dos grandes nomes da cultura amazonense, tendo trabalhado em várias áreas artísticas como agitador e produtor cultural. A obra apresenta a trajetória de Marinho desde a...

‘Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto’: doc. frio de lenda do boi-bumbá

O documentário “Sidney Rezende: Meu Enquanto Canto” introduz o espectador à história de um dos principais compositores de toadas, bastante identificado com o boi Garantido (mas também com passagem pelo Caprichoso) que empresta seu nome ao título da obra. O filme é,...

‘A Hespanhola’: choque da alegoria restrita à mesma bolha

Em 2018, lembro-me de discutir com meu então mentor do programa para formação de críticos do Talent Press Rio, o português Luis Oliveira. O tópico: “Infiltrado na Klan”, de Spike Lee. Na ocasião, ele defendia que o filme não era bom por ser isento de qualquer sutileza...

‘O Colar’: pedaços de grande filme ficam pelo caminho

O Festival Olhar do Norte acompanha com lupa a trajetória de Romulo Souza. Afinal, em todas as edições do evento, há um filme do jovem diretor e roteirista amazonense atualmente radicado em Santa Catarina. Na primeira edição foi “Personas”, documentário para além da...

‘Mestres da Tradição na Terra do Guaraná’: tema fascinante perde-se em pequenos excessos

O curta documentário “Mestres da Tradição na Terra do Guaraná”, com direção de Ramon Morato, foca nos músicos que mantêm vivos os ritmos de cancioneiro interiorano amazonense. São canções e ritos comunitários, cujas raízes remontam a culturas indígenas e...

‘Reflexos da Cheia’: uma viagem às origens do cinema dentro do Teatro Amazonas

Durante os nove minutos de “Reflexos da Cheia”, o público do Teatro Amazonas vivenciou uma oportunidade de viajar no tempo na terceira noite do Festival do Olhar do Norte. Engana-se quem deduz que este retorno faz referência apenas ao espantoso período de subida...

‘Cercanias / Gatos’: o universo felino e pitoresco de um condomínio de Manaus

“A Terra Negra dos Kawá” deixou a clara impressão de que Sérgio Andrade estava se repetindo em temas já abordados em “A Floresta de Jonathas” e “Antes o Tempo Não Acabava”. Parecia que os caminhos traçados até ali tinham se esgotado, tornando-se urgente e necessário...

‘Stone Heart’: frieza tira potência da mensagem

Vou abrir meu coração, caro leitor: “Stone Heart” me deixa diante de um impasse. De um lado, impossível não ressaltar o que o filme representa um avanço técnico inegável para o ainda incipiente setor da animação no Amazonas, especialmente, do ponto de vista técnico –...

‘A Bela é Poc’: afeto como resposta à violência manauara

Chega a ser sintomático como a violência de Manaus ganha protagonismo nas telas neste grande ano do cinema amazonense. Na brutalidade do marido contra a esposa em “O Buraco”, de Zeudi Souza, passando pela fúria surrealista de “Graves e Agudos em Construção”, de Walter...

‘Kandura’: documentário formal para artista nada comum

 Tive a honra de entrevistar duas vezes Selma Bustamante: a primeira foi na casa dela sobre o lançamento de “Purãga Pesika”, curta-metragem em documentário dirigido por ela em parceria com César Nogueira. A segunda foi para o programa “Decifrar-te”, da TV Ufam, no...