Se você queria ver Mads Mikkelsen bebendo até cair e mostrando um certeiro timing cômico, você acaba de achar seu filme do ano. “Another Round”, longa de Thomas Vinterberg que estreou em Toronto e foi exibido no Festival de Londres deste ano, reúne o cineasta com o astro de seu hit “A Caça“. No entanto, os resultados não poderiam ser mais diferentes: enquanto sua parceria anterior é um dos dramas mais pungentes da última década, a nova é uma buddy comedy no estilo “Se Beber Não Case” feita com o seco humor escandinavo.

Mikkelsen é Martin, um professor quarentão que acha que seus anos dourados já passaram. Sua mulher o evita, seus alunos o acham um saco e sua vida parece bastante estagnada. Durante um jantar com seus amigos – todos professores contemporâneos em situações similares – surge um debate acalorado acerca da teoria do psiquiatra Finn Skårderud de que os seres humanos possuem um déficit de teor alcoólico no sangue, que deveria ser compensado diariamente para uma vida mais plena. Achando que não têm nada a perder, eles decidem testar essa hipótese, o que desencadeia uma louca e tocante sequência de eventos.

Escrito por Vinterberg e outro de seus colaboradores habituais, Tobias Lindholm, o roteiro abraça todas os absurdos e contradições de sua proposta e das personagens. Em outras mãos, este seria apenas outro filme com quarentões bebendo até cair, com piadas fáceis envolvendo embriaguez e nudez. Os realizadores, no entanto, estão mais interessados em usar a premissa para expor os efeitos da idade e do tempo.

MEDOS E FRAGILIDADES

O longa não teria nada de cômico se o experimento dos professores não desse certo – ao menos por um tempo. Eles cativam seus estudantes e viram figuras queridas dentro do ambiente escolar. Martin até mesmo ensaia uma retomada afetiva no relacionamento com a esposa. Porém, como se sabe, a relação entre homens frustrados e substâncias entorpecentes raramente é sadia ou previsível a longo prazo, e repentinamente o público está diante uma tragédia que toca em alcoolismo e alto preço das escolhas da vida.

O quarteto principal – Mikkelsen, Thomas Bo Larsen, Lars Ranthe e Magnus Millang – está ótimo e justamente dividiu o prêmio de melhor ator no Festival de San Sebastián. Mikkelsen, no entanto, merece aplausos à parte pela sua interpretação corajosa de Martin, cuja crise de meia-idade surge como um apelo interno para que ele se reconecte consigo mesmo. Na cena em que ele decide se juntar ao experimento logo no início do filme, observe como ele usa o rosto para mostrar sua ida da resistência à aceitação, e tente desviar os olhos da tela.

Vale notar que Skårderud existe, mas a teoria que serve de base ao filme é fruto da liberdade criativa dos realizadores. Mesmo se apoiando numa tese falsa, “Another Round” é um filme potente que aborda medos e fragilidades muito reais. Na vida de seus protagonistas, o grande desafio está na aceitação de sua própria falibilidade – e às vezes, a única maneira de fazer isso é com uns drinques no estômago.

‘Earwig’: fábula dark de incapaz de envolver o público

A vida de uma menina peculiar, um homem atormentado e uma garçonete em apuros se entrelaçam em "Earwig", novo filme da francesa Lucile Hadžihalilović (“Inocência”, “Évolution”). O longa, que teve estreia em Toronto e premiada passagem em San Sebastián, foi exibido no...

‘Um Herói’: o melhor filme de Asghar Farhadi desde ‘O Passado’

Um conto-da-carochinha com desdobramentos épicos é a força-motriz de "Um Herói", novo drama de Asghar Farhadi. O longa foi exibido no Festival de Londres deste ano após estreia em Cannes, onde levou o Grand Prix - o segundo prêmio mais prestigiado do evento. Escolhido...

‘Benedetta’: Verhoeven leva sexo a convento em sátira religiosa

Paul Verhoeven (“Elle”, “Tropas Estelares”), está de volta - e continua em excelente forma. Seu mais novo filme, Benedetta, exibido no Festival de Londres deste ano após sua estreia em Cannes, vê o diretor holandês empregando sua verve cáustica à serviço de uma...

‘The Tragedy of Macbeth’: ambiciosa adaptação que nada inova

Longe de pela primeira vez e certamente não pela última, o cinema recebe mais uma adaptação de "Macbeth"- agora concebida por Joel Coen, metade da oscarizada dupla de irmãos cineastas. O lançamento largamente digital do longa exibido no Festival de Londres deste ano -...

‘Sundown’: apatia generalizada em filme monótono

“Sundown”, novo filme do mexicano Michel Franco (“Depois de Lúcia”), tenta responder a velha pergunta: como seria começar de novo? A produção com Tim Roth (“Luce”) e Charlotte Gainsbourg (“Ninfomaníaca”), que teve estreia em Veneza e foi exibida no Festival de Londres...

‘A Crônica Francesa’: Wes Anderson joga para torcida ao celebrar o jornalismo

Descrito como uma "carta de amor aos jornalistas", "A Crônica Francesa" é uma divertida homenagem do diretor Wes Anderson à mídia impressa e aos articulistas que o inspiraram. O projeto, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, é o filme...

‘Great Freedom’: a luta para ser quem se é independente das consequências

Amor, tesão e tragédia dão a tônica de "Great Freedom", o belo e potente novo filme de Sebastian Meise. A co-produção Áustria-Alemanha, que estreou (e foi premiada) na seção Um Certo Olhar no Festival de Cannes, foi exibida no Festival de Londres deste ano. O drama de...

‘The Souvenir Parte II’: Joanna Hogg muda tom e cria sequência metalinguística

A diretora Joanna Hogg continua seu exercício em autoficção em "The Souvenir Parte II", sequência do premiado sucesso de 2019. O filme, que estreou em Cannes e foi exibido no Festival de Londres deste ano, começa exatamente no mesmo ponto em que seu predecessor...

‘Titane’: Julia Ducournau arrisca tudo com horror no limite

Dependendo da forma como você o vê, "Titane" é um horror porrada no estômago, uma hilária comédia de humor negro ou um drama sobre pessoas muito, mas muito quebradas. O filme ganhador da cobiçada Palma de Ouro - prêmio máximo do Festival de Cannes - deste ano e...

‘Spencer’: Kristen Stewart luta em vão contra filme maçante

Em "Spencer", Kristen Stewart se junta ao clube de atrizes - que inclui Naomi Watts (“Diana”) e Emma Corrin (“The Crown”) - que se lançaram ao desafio de retratar a Princesa Diana. A atriz traz uma energia caótica à personagem e a coloca no caminho de uma quase certa...