Não sabemos ao certo o que esperar de um episódio para o outro de Better Call Saul. O anterior, o 5×02, terminava com o plano de um sorvete caído numa calçada, que fazia um rima visual legal com o plano final do teaser deste mesmo episódio, que mostrava um anão de jardim quebrado e caído na rua. O que parecia apenas um floreio adquire uma importância metafórica neste 5×03, intitulado “O Cara Certo”.

E Jimmy, agora Saul, é o cara certo e descobre isso dando seu grande primeiro passo das pequenas bandidagens para as grandes… Depois de ser levado por Nacho a um encontro com Lalo, ele se vê na posição de virar advogado de um traficante, Domingo, o nosso conhecido Krazy-8 – que vai ser morto por Walter White logo nos primeiros dias de Breaking Bad…

LEIA TAMBÉM: Crítica: “Better Call Saul” – Episódios 5×01 e 5×02

Jimmy/Saul fica desconfiado e nervoso no início – até elogia o famoso Tuco para Lalo. Mas depois o papel de advogado “criminal” no duplo sentido começa a ficar mais confortável – Mais à frente ele diz a Kim que “foi o melhor dia, financeiramente falando” do Saul.

Kim, por sua, também aprende que é difícil “dormir em duas camas” quando seu trabalho pro bono, para clientes que não podem pagar, conflita com seus serviços para a grande empresa Mesa Verde. Ao se ver diante de uma situação com um senhor idoso, a hipocrisia dela é jogada na sua cara. Quando começaram seus serviços legais, Jimmy e Kim tinham a ideia de autonomia, de fazerem o que quisessem e por conta própria. Mas nem sempre a vida funciona assim… E pouco a pouco eles vão se envolvendo com seus “chefes”. Nacho diz a Jimmy, “se você está dentro, ficará para sempre dentro”.

‘BREAKING BAD’ SE APROXIMA

Entre esses momentos, vemos… Mike, bêbado e deprimido, tem uma confrontação com uns bandidos – o momento mais fraco do episódio, mas que ainda é elevado pela atuação de Jonathan Banks. É só que já sabemos que ele é um coroa irado… E Nacho, num apartamento chique, mas vazio, é confrontado pelo pai. Em mais um lance criativo da parte visual da série, somos levados a crer que dentro do apartamento é noite, mas do lado de fora, quando vemos o pai de Nacho, é plano dia… Aliás, a própria direção de arte do apartamento passa uma ideia de prisão para Nacho, por mais que esteja acompanhado de moças usando roupas reveladoras.

E, claro, Steve (!) e Hank (!!!) dão as caras, nas suas primeiras aparições – espera-se – em Better Call Saul, e o primeiro encontro deles com Saul também representa o primeiro momento em que este entrou no jogo que, de vez, determinaria o seu futuro. Ao ser trazido de volta ao local da sua carona, o sorvete derreteu e virou alimento de formigas famintas. Jimmy vê isso, e nós também, em mais um simbolismo visual da série, que é sutil e não é martelado na cabeça do espectador. Coisas aparentemente pequenas levam a grandes desenvolvimentos, e ao longo da série, de vez em quando uma lente de aumento foi colocada sobre esses momentos. Better Call Saul, afinal, é uma série sobre os pequenos passos em direção a uma grande decadência.

‘Maid’: o fim do American Way of Life

“Maid” é uma produção focada em dilemas contemporâneos e esse é o principal de seus acertos. Disponível na Netflix e protagonizada por Margaret Qualley, a minissérie acompanha Alex, uma jovem que foge de um relacionamento abusivo e passa a trabalhar como empregada...

‘Missa da Meia-Noite’: Mike Flanagan acerta sem correr riscos

Quando pensamos em produções de terror é muito fácil associar suas tramas a existência do sobrenatural, do desconhecido, mesmo que existam muitos títulos onde o vilão se trata na realidade de uma pessoa como qualquer outra. Contemplando essas duas linhas narrativas,...

‘Round 6’: novo e divertido sucesso made in Coreia do Sul

Depois de ‘Parasita’ ganhar o público e o Oscar de melhor filme em 2020, o mundo passou a olhar com mais atenção para as produções sul-coreanas no cinema. Atenta às tendências do mercado audiovisual, a Netflix anunciou um investimento de US$ 500 milhões na produção de...

‘Cenas de um Casamento’: releitura atualiza discussões e preserva caráter episódico do original

"Vou colecionar mais um sonetoOutro retrato em branco e pretoA maltratar meu coração"  É difícil pensar em escrever qualquer análise-ou-crítica-ou-chame-do-que-quiser de "Cenas de um Casamento" (HBO, 2021) e não ter os pensamentos invadidos pela obra original - e...

‘Modern Love’ 2ª temporada: olhar amadurecido sobre as formas de amar

Recomenda-se que esse texto seja lido com a trilha sonora de John Carney. Quando você relembra seus relacionamentos marcantes, que memórias lhe vem à mente? Que músicas e sensações atingem seus sentidos a ponto de soltar um sorriso imperceptível ou o coração apertar...

‘As Filhas de Eva’: a sedutora serpente chamada liberdade

Quem foi Eva? Segundo os escritos da Bíblia, foi a primeira mulher do Planeta Terra, nascida da costela de Adão, o primeiro homem. Enganada e seduzida pela serpente, come o fruto proibido e, como castigo para ambos, Deus enviou o caos à Terra. Esta é uma breve síntese...

‘Loki’: boa, porém desperdiçada, introdução ao multiverso Marvel

Após a excêntrica e divertida "Wandavision", a política e reflexiva "Falcão e o Soldado Invernal", a nova série da Marvel focada no Deus da Trapaça é uma ótima introdução para o que está por vir no Universo Cinematográfico Marvel (MCU). Entretanto, por conta do...

‘Elize Matsunaga – Era Uma Vez Um Crime’: misoginia brasileira escancarada

Duas coisas se destacam na minissérie “Elize Matsunaga: Era Uma Vez Um Crime”: o domínio patriarcal no Brasil e o estudo de personagem feito pela diretora Eliza Capai. A documentarista é responsável por produções que buscam investigar personagens femininas sem...

‘Dom’: história de amor paterno no meio do caos das drogas

Dom (2021), nova aposta da Amazon Prime, é uma série que desperta as mais diversas emoções. Livremente inspirado no romance homônimo escrito pelo titã Tony Belotto e também em O Beijo da Bruxa (2010), de Luiz Victor Lomba (pai do Pedro), a produção narra a história...

‘Solos’: minissérie joga fora todos seus promissores potenciais

A minissérie do Prime Video "Solos" busca se distanciar de comparações ao streaming concorrente. Para tanto, traz elementos de ficção científica e a relação da tecnologia com (e eventualmente versus) a humanidade em um futuro distópico. Nesse sentido, há uma...