“O avião! O avião!”. Essa fala e o anão Tattoo são os elementos mais lembrados do seriado da TV Ilha da Fantasia dos anos 1970. Esses elementos são suficientes para garantir a produção de uma nova versão, destinada ao grande público de cinema de hoje? Bem, alguém achou que sim, pois fizeram o reboot para cinema de Ilha da Fantasia. Produzido pelo estúdio Sony e pela Blumhouse, a produtora do momento especializada em terror que às vezes acerta a mão e às vezes erra feio, é o pior tipo de filme burro: aquele que se acha esperto.

Este reboot pega os elementos básicos do seriado – o cenário da ilha, o fato dela realizar as fantasias de quem se hospeda no resort presente nela, e alguns personagens – e os reconfigura numa história que se acha muito esperta por misturar vários gêneros. O filme da Ilha da Fantasia é parte… Bem, fantasia, parte suspense, e parte terror. Com pitadas de comédia e drama. Todas bem ruins.

Na trama, um grupo de personagens chega à ilha no famoso avião e são recebidos pelo anfitrião, sr. Roarke (vivido por Michael Peña, sucedendo outro ícone latino de Hollywood que fazia o papel na TV, Ricardo Montalban). Cada hóspede tem uma fantasia a realizar, de acordo com o anunciado na propaganda do concurso que ganharam, e o Sr. Roarke garante que pode realiza-las. Logo eles são levados às tais fantasias: Têm os dois irmãos (Jimmy O. Yang e Ryan Hansen) que querem aproveitar – leia-se, transar. Um rapaz (Austin Stowell) deseja rever o pai e acaba sendo transportado a um cenário de guerra. Uma moça (Lucy Hale) acaba tendo a chance de se vingar de outra que lhe fazia sofrer bullying na época de escola. E uma mulher (Maggie Q) experimenta uma segunda chance de ser feliz e constituir família com seu grande amor. Quando essas fantasias começam a colidir, a ilha entra em caos.

VIAGEM PARA ESQUECER

Pegando inspiração da sua contraparte televisiva, é quase como se os roteiristas colassem umas quatro ou cinco ideias para episódios numa só grande história. Uma abordagem com potencial, mas que em mãos erradas poderia gerar confusão, e é justamente o que se tem aqui. Cada história tem um tom diferente, e não há costura para transformá-las num todo coerente. Na verdade, o roteiro de Ilha da Fantasia é uma bagunça mesmo, com muito diálogo expositivo, regras da ilha que funcionam de acordo com o momento e a necessidade da trama, elementos jogados do nada, alguns outros elementos roubados de Lost, e um terceiro ato tão cheio de reviravoltas “surpreendentes” que, claro, precisam ser explicadas para o espectador com mais diálogo expositivo.

O que já era ruim no papel se torna ainda pior quando encenado pelo diretor Jeff Wadlow, que parece almejar o titulo de pior diretor trabalhando em Hollywood hoje – é o mesmo autor de Kick-Ass 2 (2013) e Verdade ou Consequência (2017), para vocês sentirem o drama. Wadlow   não entende de comédia, por isso as tentativas de humor não têm graça. E quando tenta ser sério e criar drama na narrativa, em torno da personagem de Maggie Q, o resultado é ainda pior – a mulher recebe uma segunda chance na vida, e o que é típico de filmes ruins, a rejeita 5 minutos depois… E visualmente, o filme também é muito pouco imaginativo: começa como um comercial de resort, do meio para o fim vira um episódio típico de Lost na floresta, e acaba numa caverna, que não tem um brilho como a de Lost, mas tem uma pedra mágica…

Resta aos atores passarem um pouco de vergonha: Maggie Q se esforça em vão, Peña parece um pouco constrangido, Hale está péssima e além dos demais citados, Michael Rooker passa correndo pela narrativa, totalmente desperdiçado, mas conseguindo pagar os boletos do mês. E como a cereja do bolo, o filme expande a sua já considerável picaretagem na cena final – que não é difícil de adivinhar – ao tentar iniciar uma possível franquia. A ânsia de Hollywood em explorar suas “IPs”, suas propriedades intelectuais, a todo custo, mesmo aquelas que o público de cinema de hoje mal conhece ou se lembra, ataca de novo. Porém, passar quase duas horas nesta Ilha é suficiente para fazer com que o espectador não queira voltar nunca mais.

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #56

Filme: Sleepers - A Vingança Adormecida Direção: Barry Levinson Elenco: Kevin Bacon, Robert De Niro, Brad Pitt, Jason Patric, Dustin Hoffman Sinopse: Nos anos 60 quatro adolescentes que viviam em Hell's Kitchen, em Nova York, ferem acidentalmente uma pessoa...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #55

Filme: Fuja Direção: Aneesh Chaganty Elenco: Sarah Paulson, Kiera Allen, Pat Healy, Onalee Ames Sinopse: Chloe (Kiera Allen), uma adolescente que está confinada a uma cadeira de rodas, é educada em casa por sua mãe, Diane (Sarah Paulson). No entanto, o comportamento...

SAG 2021: Previsões Finais dos Ganhadores da Premiação

Caio Pimenta analisa quem devem ser os vencedores e as possíveis surpresas do SAG 2021, previsto para acontecer no domingo, dia 4 de abril.  https://www.youtube.com/watch?v=eK7ceAzNOhs COADJUVANTES  Em Melhor Ator Coadjuvante, estão no páreo o Daniel Kaluuya, por...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #54

Filme: Fé Corrompida Direção: Paul Schrader Elenco: Ethan Hawke, Amanda Seyfried, Cedric the Entertainer Sinopse: O ex-militar capelão Toller (Ethan Hawke) sofre pela perda do filho que ele encorajou a se alistar nas forças armadas. Um outro desafio começa quando ele...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #53

Filme: Febre do Rato Direção: Cláudio Assis Elenco: Nanda Costa, Irandhir Santos, Juliano Cazarré, Matheus Nachtergaele Sinopse: Zizo (Irandhir Santos) é um poeta inconformado e anarquista, que banca a publicação de seu tablóide. Em seu mundo próprio, onde o sexo é...

Cinco dos melhores filmes baseados em matemática

Os matemáticos podem ter o típico estereótipo de um bando de geeks rabiscando fórmulas em um quadro-negro, mas isso não é verdade. Na vida real, a matemática e seus seguidores foram os responsáveis por alguns dos avanços mais importantes na história da humanidade, e...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #52

Filme: Professor Polvo Direção: Pippa Ehrlich, James Reed Sinopse: Depois de oito anos mergulhando em meio a uma floresta subaquática gelada na África, Craig reuniu as filmagens de suas incursões submarinas, especialmente as de um jovem polvo, com quem desenvolve...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #51

Filme: O Que Sophia Loren Faria? Direção: Ross Kauffman Sinopse: Uma cinéfila ítalo-americana sempre encontrou no cinema a força necessária para superar seus principais obstáculos. Tão logo os filhos comecem a se intrometer em seu estilo de vida, ela passa a decidir...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #50

Filme: Pelé Direção: David Tryhorn, Ben Nicholas Sinopse: O documentário retrata a história do Rei do Futebol e sua jornada, desde o início de sua carreira, até o histórico título da Copa do Mundo de 1970. Através de entrevistas e imagens exclusivas, somos...

Cinema em Tempos de Coronavírus: Dicas de Filmes no Streaming #49

Filme: Ethel & Ernest Direção: Roger Mainwood Elenco: Jim Broadbent, Luke Treadaway, Brenda Blethyn Sinopse: Na Londres de 1928, o leiteiro Ernest Briggs corteja e se casa com a camareira Ethel. O filho deles, Raymond, nasce em 1934. Quando a Segunda Guerra...