Após emplacar seus dois últimos projetos – “Aquela Estrada” e “Formas de Voltar Para Casa” – em festivais nacionais e internacionais, Rafael Ramos se prepara para gravar “Manaus Hot City”. Ambientada no centro da cidade, a produção começa a ser rodada em setembro e é o primeiro projeto totalmente independente do diretor, ou seja, sem a participação da Artrupe Produções Artísticas.

A ideia para o curta surgiu bem longe da capital amazonense. “Certa vez recebi uns peixes de Manaus e convidei um amigo para almoçar comigo na temporada que passei em São Paulo. Olhando a situação, pensei: ‘será que isso daria um bom roteiro?”, disse.

“Manaus Hot City” acompanha dois amigos que resolvem tirar um dia para almoçar juntos e conversar. Entre as discussões, conceitos sobre a cidade, o calor e saudade se destacam. “A premissa é bem simples e procura abordar como essas temáticas se aplicam a nossa região e ecoam nas relações locais”, afirmou.

Inspirações maranhenses

Diferente de suas produções anteriores, Rafael Ramos procurou escrever muitos diálogos a fim de “passar a sensação de que os personagens tivessem prazer em falar e em ouvir o outro”, contou.

A inquietação para estruturar o roteiro dessa forma veio de um ensaio do filósofo alemão Christoph Turcke, entretanto, “as grandes referências para os diálogos foram poemas, especialmente os de Ferreira Gullar e Matilde Campilho por abordarem a relação com espaços públicos e a referência de pertencimento ao lugar”.

Entre os poemas que o inspiraram estão os presentes no livro “Poema Sujo”, de Gullar, especialmente, sobre a relação do autor com o Maranhão e a saudade que sente da terra natal durante o exílio. Não à toa o personagem principal ser um poeta à procura de inspiração para escrever sobre o calor de Manaus.

Sem ecos de filmes anteriores

Rafael Ramos não vê muitas correlações com seus projetos anteriores, em cada um deles a concepção e o processo de criação foram feitos de maneiras distintas. “Todos os meus projetos são muito diferentes entre si. Talvez o que os conecte seja a intensa busca por experimentar coisas novas a cada produção”, afirmou.

Para “Manaus Hot City”, Rafael Ramos procurou rostos novos para compor sua equipe de produção. O elenco terá Maria do Rio e Frank Kitzinger nos papéis principais, enquanto Francisco Ricardo será responsável pela direção de arte e e Taiara Guedes do som direto. “A ideia de trabalhar com pessoas com pouca experiência é trazer novos ares ao set e experimentar, vejo isso como uma potência no projeto”.

 “Manaus Hot City” é uma produção totalmente independente, sem financiamento via edital ou via produtora. A partir do dia 22 de julho, uma campanha no Catarse será lançada para captar recursos para o projeto.

O lançamento do filme está previsto para 2020.

CONFIRA A FILMOGRAFIA DE RAFAEL RAMOS:

‘Boto’ – Episódios 12 e 13: no fim, um charme manauara inebriante

Depois de todos os atrasos possíveis na TV Ufam, “Boto” chegou ao fim. Apesar de deixar claro que não havia tanta trama para a quantidade total de capítulos, a série da Artrupe Produções encerra bem os principais núcleos da história nos dois últimos episódios e volta...

‘Boto’ – Episódios 10 e 11: afetos, traumas e intolerância

Seguindo a irregularidade característica da série, os episódios 10 e 11 de “Boto” conseguem, ao mesmo tempo, trazer momentos brilhantes – talvez, os melhores até aqui – e outros beirando o tédio. A reta final escancara que, apesar de ter cinco protagonistas, cabe a...

‘Boto’ – Episódios 8 e 9: sobra tempo e falta história

Momento confissão: chega a ser difícil escrever algo novo sobre os episódios 8 e 9 de “Boto” em exibição na TV Ufam desde a última sexta-feira, sempre às 23h, no programa Cine Narciso Lobo. Os capítulos voltam a bater nas mesmas temáticas já abordadas anteriormente...

‘Transviar’: trama inchada prejudica foco de série amazonense

As questões relativas à identidade de gênero seguem em alta no cinema brasileiro e são cada vez mais necessárias devido ao crescente fortalecimento do discurso conservador na sociedade. Produções que abordam o processo de transição de personagens transexuais têm...

‘Boto’ – Episódios 6 e 7: série cresce independente de obstáculos

Após episódios monótonos, “Boto” deu uma leve avançada nos capítulos 6 e 7, em exibição na TV Ufam (Canal 8 na Net Digital) até a próxima quinta-feira (11). Grande parte disso se deve ao foco prioritário nos relacionamentos entre os cinco protagonistas, aprofundando...

‘Boto – Episódios 4 e 5’: ou pode chamar de ‘Aquela Estrada 2’

“Aquela Estrada” é o mais bem-sucedido curta-metragem do coletivo Artrupe Produções Artísticas. Dirigida por Rafael Ramos, a produção circulou por festivais nacionais importantes como o Mix Brasil, Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo e Goiânia...

‘Boto’ – Episódios 1, 2 e 3: o protagonismo da enigmática Manaus

Se a política pública de regionalização do audiovisual brasileiro adotada na última década tinha como um dos objetivos dar voz a artistas locais apresentarem realidades de locais pouco vistos na TV e cinema, “Boto” consegue ser um representante certeiro deste processo...

‘O Céu dos Índios’: afeto marca fascinante viagem por culturas indígenas

Em sua produção como diretora – que, até então, compunha-se dos curtas Strip Solidão (2013) e Dom Kimura (2016) –, Flávia Abtibol já vinha mostrando uma disposição especial para aproximar-se do mundo de seus personagens: é a empatia a qualidade que redime a narrativa...

‘Travessia’: dor e poesia na dura vida de imigrantes do Haiti em Manaus

Após uma carreira bem-sucedida em festivais com o documentário performático “Maria”, a diretora Elen Linth apostou num projeto de temática igualmente relevante, mas com uma pegada mais diferente. Trata-se de “Travessia”, longa-metragem de não-ficção dirigido em...

‘Príncipe da Encantaria’: simpático curta expande lenda do boto cor de rosa

O Amazonas é repleto de lendas folclóricas, oferecendo um potencial inestimável para produções culturais. Aproveitando essa bagagem regional que Izis Negreiros ("Santo Casamenteiro") escreveu e dirigiu “Príncipe da Encantaria”. A produção é inspirada em uma das lendas...