Até agora, a série Lovecraft Country explorou mais os ingredientes de terror e de fantasia das obras da literatura pulp e do autor H. P. Lovecraft. Mas literatura pulp também é território da ficção-científica… Já sabíamos, desde a menção de uma tal “máquina do tempo” por Christina alguns episódios atrás, que a série iria se aventurar pela seara da ficção-científica eventualmente. Pois a hora chegou, neste sétimo episódio da temporada, intitulado “Eu Sou”.

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×01

O principal desenvolvimento deste episódio é a investigação de Hippolyta sobre… bem, todas as maluquices que ocorreram nos primeiros episódios e que custaram a vida do seu marido George. Ela encontra as ruínas de Ardham, depois descobre como fazer funcionar o planetário de Hiram e determina a localização da máquina. Isso a levará a ter uma viagem que… bem, é a maior viagem que a série mostrou até agora.

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×02

Pelo que dá para se entender, a máquina é parte um instrumento de viagem temporal, parte um portal. E graças a ele, Hippolyta vai experimentar um pouco da realização de seu sonho, como uma dançarina na companhia da estrela Josephine Baker; vai descobrir sua força, como uma guerreira tribal; e se impor frente ao seu marido numa tocante cena que traz o retorno do ator Courtney B. Vance como George. Por todo o episódio, a atuação de Aunjanue Ellis é muito forte, e é graças a ela – e aos incríveis efeitos visuais, claro – que engolimos as maluquices do episódio. Algumas são bastante visuais: acho que pela primeira vez num filme ou seriado de que me recordo, um penteado afro gigantesco é usado para caracterizar uma personagem extraterrestre.

QUALIDADES SUPERAM IMPERFEIÇÕES

“Eu Sou” é a história da libertação e empoderamento de Hippolyta frente a circunstâncias fantásticas, tal como Ruby teve alguns episódios atrás. Este episódio é um pouco menos sutil, e mais óbvio que aquele anterior, o que atrapalha um pouco a experiência. Há uma boa dose de diálogo expositivo para transmitir o dilema da personagem e nos discursos, especialmente no segmento da guerreira africana. De novo, a atuação de Aunjanue consegue fazer funcionar as situações, mas o episódio poderia ser ainda melhor se fosse menos “na cara”, menos óbvio.

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×03

Paralelamente à trama principal, vemos Ruby descobrindo secretamente que Hippolyta tem o planetário – até que ponto a aliança dela com Christina será forte, isso ainda teremos que ver no futuro. E Tic investiga o lado materno da sua família, descobrindo algumas pistas interessantes. Aliás, o ponto mais fraco do roteiro é o virtual “teletransporte” dele até o local onde Hippolyta está, para salvá-la num momento crucial… É uma conveniência narrativa que não chega a estragar o episódio, mas com certeza o diminui um pouco.

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×04

Ainda assim, em meio aos visuais malucos, que incluem visões de planetas alienígenas, e uma jornada tocante de uma personagem, Lovecraft Country produz mais uma hora interessante e criativa de TV. Imperfeita, mas uma na qual as qualidades superam os problemas. E demonstra novamente que as duas maiores qualidades da série até agora são o seu elenco e a sua “elasticidade”, ou seja, a capacidade dos roteiristas de explorar conceitos variados de fantasia, terror e, agora, ficção-científica. Realmente, parece que tudo vale em Lovecraft Country, e isso é uma qualidade do seriado.

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×05

CRÍTICA: “Lovecraft Country” 1×06

*Fui pesquisar sobre a cena em que uma mulher negra de moto passa ao lado de Hippolyta enquanto ela dirige na estrada, e é uma referência a uma figura real: Bessie Stringfield, a primeira mulher negra a cruzar de moto todos os 48 Estados norte-americanos conectados. É o tipo de coisa que muitos espectadores talvez nem peguem, mas demonstra a atenção e o cuidado da produção em celebrar e fazer referências a figuras negras importantes. É legal pensar que essa figura real acaba influenciando Hippolyta na sua jornada pessoal de libertação pela viagem no portal.

‘A Maldição da Mansão Bly’: terror dá espaço para o drama em boa série

Dois anos após o sucesso estrondoso de ‘A Maldição da Residência Hill’, o showrunner Mike Flanagan voltou a nos assombrar com sua forma sensível de contar histórias sobre fantasmas. Mas, embora tenha uma proposta parecida com a série anterior, ‘A Maldição da Mansão...

‘The Boys’ 2×08: temporada encerra lembrando fim do primeiro ano

Subvertendo o gênero de super-heróis mais uma vez, ‘The Boys’ chega ao final de sua segunda temporada correspondendo às expectativas do público. Ao apostar em cenas marcantes e revelações aguardadas, a série consegue entreter e dar continuidade às narrativas...

‘Lovecraft Country’ 1×09: massacre de Tulsa para jamais esquecer

Na minha crítica do oitavo episódio da temporada de Lovecraft Country, ressaltei como um evento real ditou o tom daquele segmento em particular. Pois neste nono episódio, intitulado “Voltando para 1921”, a série repete esse expediente, de forma até mais efetiva, ao...

‘Bom Dia, Verônica’: roteiro excelente encontra elenco em alto nível

Baseada no livro homônimo de Raphael Montes e Ilana Casoy, ‘Bom dia, Verônica’ é mais uma série nacional na Netflix que traz muito orgulho para o audiovisual brasileiro. Digo isto, pois, além de contar com uma história instigante e muito bem apresentada ao longo de...

‘Lovecraft Country’ 1×08: ‘Fuck the Police’

Se há uma coisa que o triste ano de 2020 deixou absolutamente óbvio para o mundo é que, nos Estados Unidos, a polícia é inimiga da população negra. Sério, como alguém pode discordar disso ao ver algumas poucas estatísticas, e ao presenciar a comoção mundial que casos...

‘The Boys’ 2×07: crítica social e sadismo lado a lado em grande episódio

Embora o episódio final da temporada sempre seja o mais aguardado e, por vezes, aclamado nos seriados, muito da expectativa sobre ele é construída no episódio anterior, responsável por unificar narrativas e preparar um bom desfecho. Sabendo disso,...

‘Lovecraft Country’ 1×07: sci-fi à serviço do empoderamento

Até agora, a série Lovecraft Country explorou mais os ingredientes de terror e de fantasia das obras da literatura pulp e do autor H. P. Lovecraft. Mas literatura pulp também é território da ficção-científica... Já sabíamos, desde a menção de uma tal “máquina do...

‘The Boys’ 2×06: irreverência em divertida releitura do Asilo Arkham

Desde detalhes nos figurinos até os diálogos, ‘The Boys’ sempre encontra uma forma de referenciar outros universos de super-heróis, rendendo ótimas piadas e até mesmo críticas. Desta vez, a série nos leva diretamente a uma releitura do Asilo Arkham de Gotham City,...

‘Lovecraft Country’ 1×06: surpreendente romance em meio ao terror

Bem, uma coisa ninguém pode dizer de Lovecraft Country: ser um seriado chato e previsível. O sexto episódio da temporada, “Me encontre em Daegu”, é um momento inspirado da série, uma hora cheia de imagens grotescas muitas vezes contrapostas a um clima tocante, belo...

‘The Boys’ 2×05 – ponto alto da temporada até aqui

Começando a se encaminhar para o final da segunda temporada, ‘The Boys’ acelera o ritmo da narrativa e entrega um de seus melhores episódios. Entre referências, sarcasmos e revelações, a série também apresenta dois recursos primordiais para ser um sucesso de público:...