Caio Pimenta analisa os fatores que levaram “Parasita” a ser o histórico vencedor do Oscar 2020.

Vencer um Oscar envolve muito mais do que ter “apenas” um grande filme em mãos. É preciso levar em conta uma série de fatores para que você consiga o prêmio máximo do cinema americano. “Parasita” soube jogar o jogo como poucos e ainda teve diversos contextos que permitiram essa vitória. Para mim, cinco motivos ilustram isso muito bem.

INTERNACIONALIZAÇÃO DA ACADEMIA

O primeiro deles é a internacionalização da Academia. Desde a presidência da Cheryl Boone Isaacs, o número de novos membros vindos de fora dos EUA tem crescido bastante. Para se ter uma ideia, pessoas de 58 países compõem 20% dos 9 mil membros da entidade.

Essa busca para rejuvenescer o Oscar como resposta às críticas de preconceito contra minorias e para dar maior relevância a importantes mercados para Hollywood contribuiu ajudou “Parasita”.

TEMÁTICA DO MOMENTO

O segundo motivo é que “Parasita” representava a principal temática do ano: a desigualdade social e o abismo entre as classes.

Coringa” e “Indústria Americana”, produções também premiadas no Oscar 2020, tocaram no assunto com diferentes pontos de vista, assim como sucesso nacional “Bacurau”.

PÚBLICO MAIS AMPLO

O terceiro motivo está relacionado à capacidade de “Parasita” falar com um público mais amplo do que as produções do exterior que já disputaram o Oscar de Melhor Filme anteriormente.

Com sua mistura de drama, comédia, suspense dentro de importantes críticas sociais, “Parasita” é uma produção capaz de agradar desde o público mais jovem ao mais velho. Diferente, por exemplo, de “Roma” e “Amor” que poderiam encontrar maior resistência entre os mais jovens e “O Tigre e o Dragão” entre os mais velhos, somente para ficar em casos recentes.

CONCORRENTES ENFRAQUECIDOS

A queda de concorrentes importantes durante a temporada de premiações é o quarto motivo que ajudou “Parasita” a levar o Oscar.

Se “O Irlandês” enfrentou resistência severa pelas 3h30, um pecado para os dias atuais, “Era uma vez em Hollywood” tinha a figura controversa de Quentin Tarantino e as mudanças históricas em relação a Sharon Tate como um empecilho. “História de um Casamento” ruiu no meio do caminho, “Coringa” era muito divisivo  e violento para uma Academia que acabara de premiar “Green Book”, e “Adoráveis Mulheres” e “Jojo Rabbit” nunca se firmaram como potenciais candidatos a Melhor Filme.

Daí, ficou “1917” como maior rival, porém, o quinto motivo explica a derrota do Sam Mendes.

ESTRATÉGIA PERFEITA

Com uma estratégia inteligente de fazer um lançamento pequeno em circuito alternativo, apostando no boca-a-boca positivo e no buzz criado pelas redes sociais, a Neon foi trabalhando a ideia de que não de que não havia oportunidade melhor do que aquela de realizar um feito histórico e premiar a primeira produção não falada em inglês dentro da Academia. O fato poderia até ser visto como uma resposta ao conservadorismo da escolha de “Green Book”, em 2019.

A maior demonstração do clima pró-Parasita aconteceu no SAG quando os atores foram aplaudidos de pé em duas ocasiões e a produção fez história ao levar o prêmio de Melhor Elenco.

Ali começava a ser selado um caminho que “1917” até tentou impedir com conquistas no DGA, PGA e Bafta, porém, acabou sendo mais forte a sensação de que era hora de fazer história.

E O FUTURO?

A vitória de “Parasita” também demonstra uma força dos estúdios menores em relação aos todo-poderosos de Hollywood. Nos últimos anos, vimos a Fox Searchlight vencer três vezes com “12 Anos de Escravidão”, “Birdman” e “A Forma da Água”, a Open Road com “Spotlight”, a A24 com “Moonlight”, e, agora, a Neon com “Parasita”. A exceção ficou com “Green Book” da Universal Pictures.

A grande questão, agora, é saber qual será o impacto desta vitória. O Oscar vai se abrir, finalmente, para as produções ao redor do planeta ou vamos voltar ao conservadorismo? Sinceramente, não acho que a gente vai ver isso virar rotina de vermos produções francesas, alemães, sul-coreanas, brasileiras vencendo Melhor Filme. Acredito sim que a tendência é que haja sempre um espaço para produções de fora dos EUA indicadas até pela questão de mercado da festa.

Pelo menos, a recepção à vitória de “Parasita” tem sido boa dentro de Hollywood até que se prove o contrário devido à boa repercussão da cerimônia deste ano. Porém, a pior audiência da história do Oscar pode jogar contra isso. De qualquer modo, o feito histórico está sendo menos traumático do que ocorreu quando “Hamlet” se sagrou a primeira produção não-americana a vencer o Oscar, em 1949. Em revolta à decisão, os principais estúdios de Hollywood cessaram os repasses financeiros feito à Academia.

Oscar 2021: As Chances de ‘Babenco’ e os Principais Rivais

Caio Pimenta fala sobre "Babenco" como a escolha brasileira para o Oscar 2021 e os principais rivais em Melhor Filme Internacional. https://www.youtube.com/watch?v=o2ukUcPJmjo É raro, mas, não totalmente impossível que documentários sejam indicados a Melhor Filme...

Oscar 2021: As Indicações ao Gotham Awards e o Impacto para o Prêmio

Caio Pimenta analisa como as indicações ao Gotham Awards 2021 pode apontar tendências para o Oscar do ano que vem. https://www.youtube.com/watch?v=7y6Ij2QG5ck O Gotham Awards é um evento menor da temporada de premiações, mas, que recebe a atenção por ser a primeiras...

Oscar 2021: Quem fica com a vaga do Brasil para Melhor Filme Internacional?

Caio Pimenta apresenta as chances dos 19 candidatos à vaga do Brasil para à categoria de Melhor Filme Internacional no Oscar 2021.  https://www.youtube.com/watch?v=ghYuw5lBtQg POUCAS CHANCES  Aparecem com poucas chances o policial “A Divisão”, do Vicente Amorim e...

Oscar 2021: ‘Era uma vez um Sonho’ e os 10 flops pré-Oscar

Caio Pimenta aproveita as péssimas críticas de "Era uma vez um Sonho" para recordar 10 filmes que naufragaram antes de chegarem ao Oscar. https://www.youtube.com/watch?v=Gr6EuICoDro As primeiras críticas de “Era uma vez um Sonho” não foram absolutamente nada generosas...

Oscar 2021: Calendário das Estreias dos Candidatos no Brasil

Caio Pimenta apresenta quais candidatos ao Oscar 2021 estarão disponíveis no Brasil até o fim de 2020 nos cinemas e streaming.  https://www.youtube.com/watch?v=TohVcL7tQFs DISPONÍVEIS NO BRASIL  Vamos começar com os filmes que você já pode conferir no streaming.  A...

Oscar 2021: Qual o impacto das Eleições dos EUA no Prêmio?

Joe Biden e Donald Trump fazem uma das disputas mais acirradas da história da Presidência dos EUA. Um país dividido politicamente, em meio a uma pandemia, crise econômica e questões raciais tensas. Diante disso, será que este cenário afeta a corrida do Oscar 2021? ...

Oscar 2021: Quais os principais candidatos dos estúdios de Hollywood? – Parte 2

Caio Pimenta apresenta as estratégias de campanha da Disney, Searchlight Pictures, Neon, A24, Sony Pictures Classic, Netflix e Bleecker Street para o Oscar 2021.  https://www.youtube.com/watch?v=Da5_CB4wbyQ DISNEY  A toda-poderosa e milionária Disney não tem muitas...

Oscar 2021: Quais os principais candidatos dos estúdios de Hollywood?

Caio Pimenta apresenta as estratégias de campanha da Amazon Studios, Warner Bros, Universal Pictures, Paramount Pictures, Kino Lorber e Focus Features para o Oscar 2021.  https://www.youtube.com/watch?v=VCei-jnsMx0 AMAZON STUDIOS  Vamos começar com a Amazon que tenta...

Oscar 2021 de Melhor Atriz Coadjuvante – Previsões Iniciais

De Glenn Close a Toni Collette, Caio Pimenta traz as primeiras previsões sobre os possíveis indicados ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 2021.  https://www.youtube.com/watch?v=z-NCqSVhUnA POUCAS CHANCES  Aparecem com poucas chances de indicação, a Toni Collette,...

Oscar 2021 de Melhor Ator Coadjuvante – Previsões Iniciais

De Chadwick Boseman a Bill Murray, Caio Pimenta traz as primeiras previsões sobre os possíveis indicados ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante em 2021.  https://www.youtube.com/watch?v=3BDUytmOb9U POUCAS CHANCES  O Lucas Hedges, por “Saída Francesa”, Bo Burnham, de...